Salvador, 23 de Outubro de 2017

Adelmo Pereira

Adelmo Pereira

(1877 – 23.03.1941)

Nasceu no povoado de São Rafael, perto do Tareco. A sua família era muito pobre, de modo que frequentou a escola por 7 meses, sendo praticamente um autodidata. Além de poeta, era compositor, fazia letra e música para bailes pastoris, e também escrevia peças de teatro, sendo que uma delas, a Doida de Albano, foi levada ao ar pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

Foi o fundador do Pequeno Jorna,l em 1920, em Morro do Chapéu. Em 1926 esse jornal foi transferido para Irecê.

Foi casado com D. Maria Amélia Dourado Pereira, que convivia com o conhecido pavio curto do marido. Ela era muito tranqüila, o que o deixava mais irritado. 

Filhos:

Osvaldo Dourado - Deraldina Dourado (esposa, ambos falecidos)
Filhos:  Maria Augusta Dourado Pereira, Joaquim Adhelmar Dourado Pereira (falecidos), Paulo Adolfo Dourado Pereira, Maria Augusta Dourado  Pereira(falecida) e Maria de Fátima Dourado Pereira.

Enéas Dourado Pereira - Maria José (esposa, ambos falecidos)

Denizarth Dourado Pereira (falecido)

Áureo Dourado Pereira - Orlinda Dourado Pereira (esposa, ambos falecidos)
Filho: Vlademir Dourado Pereira.

Cleóbulo Dourado Pereira (falecido) - Olga Cavalcanti Pereira
Filhos: Osvaldo Cavalcanti Dourado Pereira e Clélia Cavalcanti Dourado Pereira.

Clélia Dourado Pereira (falecida)

Delane Dourado Pereira - Maria Alice da Conceição Pereira

Suas poesias foram reunidas por sua neta Maria de Fatima:

  • Adelmo Pereira
  • Aos teus quinze anos
  • Separação
  • Hontem, Hoje e Amanhã
  • Hontem, Hoje e Amanhã (Cont).    A minha Patria
  •  A Minha Pátria (Continuação)
  • Sonho   + Vou Partir
  • Vou Partir (Continuação) +  Queixumes
  • Queixumes (Continuação)
  • À Memória de Meu Irmão
  • Minha Mãe
  • Saudades
  • O Romper da Aurora
  • O Cahir da Tarde
  • Cadeias de Amor
  • Clamores
  •  A Rosa   +   Deus Existe
  • Deus existe (cont)
  • Deus existe (cont + A Esperança
  • A Esperança (continuação)
  • Minha Infância  + És Tu
  • És Tu (continuação)
  • O Mendigo
  • O Mendigo (cont) + A Caridade

Comentários enviados

luiz fernando dourado bereta
luiz fernando dourado bereta em 11/04/2015 às 14:03:07 disse:

Sou neto de Cleobulo dourado pereira. Minha mãe é Clelia cavalcanti Dourado e esta viva

LUIZ FERNANDO DOURADO BERETA
LUIZ FERNANDO DOURADO BERETA em 01/09/2015 às 21:51:17 disse:

Cleóbulo Dourado Pereira (falecido) - Olga Cavalcanti Pereira Netos: Osvaldo Cavalcanti Dourado Pereira e Clélia Cavalcanti Dourado Pereira. Minha mãe é Clelia Cavalcanti Dourado. Ela não é neta de Cleóbulo, e sim filha.

Utilize o espaço abaixo para contribuir com informações, sugestões, elogios ou críticas ...

Sua mensagem será moderada antes de aparecer para o público.


(Obrigatório)
Este campo é obrigatório.Formato de e-mail inválido.

Desenvolvido por Éder Lima