Salvador, 14 de Dezembro de 2017

Grassi (Familia)

Nicolau Grassi

(     - 06.1916)

 

          Nascido na Itália, foi o fundador da firma N. Grassi & C., com filiais em Cafarnaum, Carahybas, Juá e Tabua. Essa empresa explotava salitre, possuía fazendas e comercializava diamantes.

          Foi casado com a italiana Maria Bento Grassi.

          O casal residiu por muitos anos em Morro do Chapéu, onde fez fortuna, e depois regressou para a Itália.

          Em 19.04.1920 a firma N. Grassi & C. passa a ser filial da firma Grassi & C., com sede em Salvador, dirigida por Vicente Grassi. Essa nova empresa passou a contar com filial no Rio de Janeiro, dirigida por Pedro Grassi. Os negócios na região de Morro do Chapéu ficaram sob a direção de Giacomo Milani, na qualidade de gerente.

 

Nicolino Grassi

(11.04.     – 13.10.1964)

 

          Filho de Nicolau Grassi, foi um destacado comerciante. Em 1929 era o agente e o depositário dos produtos Standard Oil Company of Brasil (querosene Jacaré, gasolina e óleo), bem como dos produtos Singer e Remington, em Morro do Chapéu. Também era o representante das seguintes empresas: Companha Vinícola Girondin Bordeaux (França), Bishop & Cia. (Inglaterra) e Motocycletas Royal Enfield.

          A sua casa comercial vendia vitrolas, discos, artigos de moda e calçados, além de comprar toda e qualquer quantidade de couro (teiú, gato, raposa, jibóia, caetitú, onça, capivara, cascavel, etc), alem de comprar e beneficiar algodão.

          Em 1929 sua empresa ofereceu um curso gratuito de bordado, com utilização das máquinas de costura Singer.

          Posteriormente tornou-se funcionário da Bolsa de Mercadorias da Bahia. Seu falecimento ocorreu na ilha de Itaparica.

 

Pedro Grassi

(16.06.1889 – 04.1936)

 

          Pedro Grassi nasceu em Morro do Chapéu em 16 Jun de1889, filho de Nicolau Grassi e de D. Maria Benta Grassi. Foi sócio dos seus irmãos Nicolino e Vicente na firma N. Grassi & C., que incentivou a cultura de algodão no município, com instalação de oficinas de beneficiamento em Irecê, Juá, Chapada, Cafarnaum e Tabua. Durante a primeira guerra mundial, essa empresa também explotou as jazidas de salitre da região.

          Em torno do final da década de 1920 passou a residir em Londres, onde tornou-se importador de várias mercadorias provenientes da Bahia, a exemplo de algodão e cristal de rocha.

          Casou-se com a inglesa Venefrida France Grassi e deixou duas filhas: Maria Venefrida e Maria Giovani, nascidas na Inglaterra.

 

Vicente Grassi

(20.06.1893 – 28.09.1976)

 

          Foi um comerciante de larga visão empresarial, sendo sócio da firma N. Grassi & C., juntamente com seus irmãos Pedro e Nicolino.

          Tornou-se intendente no período de 1926-1930, quando trabalhou pela conclusão da construção do prédio escolar Dias Coelho, iniciado em 1916, e pela instalação da agencia do Telegrafo Nacional, inaugurados em 15.11.1928. Em 08.06.1930 promoveu uma exposição dos produtos do solo e do subsolo do município.

Nomeado coletor federal, em 1934, mudou-se para Jacobina, onde também foi prefeito.

Casado com Olivia Dias Pires, ao ser aposentado passou a residir em Salvador, na rua dos Expedicionários, nos Dendezeiros.

 

José Pepino Grassi

(1872 – 30.12.1947)

 

Natural de Tortora na Itália, era sobrinho de Nicolau Grassi. Foi importante comerciante no Ventura e em Morro do Chapéu, onde era sócio da firma Grassi & Cia., que possuía estabelecimentos comerciais e explotava salitre.

Foi casado com Teodolina Benta Grassi.

          Seu filho Pedro Grassi (1903-28.08.1978), foi vereador e juiz de paz no Ventura.

  • Idalice Grassi e amigos

Utilize o espaço abaixo para contribuir com informações, sugestões, elogios ou críticas ...

Sua mensagem será moderada antes de aparecer para o público.


(Obrigatório)
Este campo é obrigatório.Formato de e-mail inválido.

Desenvolvido por Éder Lima