Salvador, 18 de Outubro de 2017

Registro de Terras


 Dados do Manuscrito

 

Arquivo Público do Estado da Bahia

Fundo: Governo da Província

Série Agricultura

Seção Colonial e Provincial

Registro Eclesiástico de Terras da Freguesia do Morro do Chapéu

Maço nº 4752

1858-1870

 

        [f.01]

Padre Vasconcellos

 

     Este Livro, que ha de servir para n’elle serem  lançados os Registros das terras da Freguezia de 05 Nossa Sênhora da Gràça do Môrro do Chapéo, cons-

     ta de duzentos folhas, que forão por mim  numeradas e rubricadas com a minha ru-brica costumada - Padre Vasconcellos – E para  que os traslados que d’elle se extrahirem te- 10 nhão inteira fé e validade, interponho

     minha authoridade e direito judicial.

     Fiz e assignei este termo e outro do mesmo

     theor na ultima folha. Freguesia de Nossa Se-

     nhôra da Graça do Morro do Chapéo 10 de Junho

15 de 1857. O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

 

        [f.02]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras da Fazenda denomina

     da Buracão sitas n’esta Freguezia de Nossa

05 Senhora da Graça do Môrro do Chapéo:

     Manoel Joaquim de Santa Anna traz a re-

     gistro as terras – Buracão – que comprou a Ex-

     cellentissima Condêssa da Ponte Dona Maria

     Constança de Saldanha Oliveira e Souza n’es-

10 ta Freguezia de Nossa Senhora da Graça do

     Môrro do Chapéo, e suas extremas são as se-

     guintes = para o nascente com a a [sic] Fazenda

     do Môrro, na Serra, para o poente na Ser-

     ra com os geraes da catinga, para o sul com   

15 a Fazenda da Canabrava na estrada do que-

     bra cangalha; para o nórte com o Boquei-

     rão no Riacho fundo; e pode ter de nascente

     á poente um quarto de legoa pouco mais ou

     menos. Manoel Joaquim de Santa Anna.

20 Apresentado no dia treze de Janeiro de mil e

     oitocentos e concoenta e oito. Freguezia de Nos-

     sa Senhora da Graça do Morro do Chapéo 14 de Ja-   

     neiro de 1858. O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

 

        [f.02v]

     Registro das terras denominadas Lapa do An-

     toninho, sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo.

 

05 Manoel Joaquim de Santa Anna tras a regis-

     tro as terras – Lapa do Antoninho – que comprou

     á Joaquim Gomes Pereira, e sua mulher, no des-

     tricto d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo, e suas extremas são as seguin-

10 tes = Para o nascente a Verêda de São Rafael; pa-

     ra o poente duas legoas de fundos; para o sul na

     volta dos mamonaes, verêda ásima, para o nor-

     te confrontando com um riacho sêco que tem di

     outro lado Manoel Joaquim de Santa Anna.

15 Apresentado á treze de Janeiro de mil e oitocentos

     e cincoenta e oito Freguezia de Nossa Senho-

     ra da Graça do Môrro do Chapéo 14 de Janei-

     ro de 1858. Apresentado no dia 14 de Janeiro de 1858.

               O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.03]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas - Riacho do meio

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

05 ça do Môrro do Chapéo.

 

     Roberto Henriques d’Oliveira a traz á regis-

     tro as terras denominadas = Riacho do meio =

     que possue n’esta Freguezia de Nossa Senhô-

     ra da Graça do Môrro do Chapéo, e por com-

10 pra vendo sua situação nos limites da Ca-

     pella do Senhor Bom Jesus da Bôa Esperan-

     ça, filial á esta Matriz, e suas confronta-

     ções são as seguintes. Para o nascente no mes-

     mo Riacho do meio, para o poente no Ria-

15 cho da Talaia com Rozalia Rodrigues; para

     o norte com Maria Telles; para o sul com

     as terras de José Olho Vermelho; e discando

     riacho á baixo com as terras de Domingos Ma-

     noel d’Oliver. Roberto Henriques d’Oliveira

20 Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 29 de Janeiro de 1858. Apresen-

     tado no dia 29 de Janeiro de 1858.

                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.03v]

 

     Registro das terras da Fazenda Boqueirão sita

     n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro

     do Chapéo.

 

05 Dona Gertrudes de Santa Maria de Jesus traz á

     Registro as terras da Fazenda-Boqueirão – a qual

     houve por compra nesta Freguezia de Nossa Senho-

     ra da Graça, com excepção de poucas partes que

     n’ella teem os herdeiros do finado Luiz Pinto

10 de França tendo porem a authorgante, maior

     parte e suas extremas são as seguintes. Para o

     nascente no logar chamado Lagôa do matto, com

     a Fazenda do Môrro do Chapéo; para o poente na

     ladeira do Tôrto; para o nórte no logar chama-

15 do Lagoinha do Capim prêto; e para sul no

     Martim Affonso. Assigno por mando de mi-

     nha Mãy por não poder escrever. Florencio 

     Rodrigues d’oliveira Freguezia de Nossa Se-

     nhôra da Graça do Môrro do Chapéo 29 de Janei-

20 ro de 1858. Apresentado no dia 29 de Janeiro de 1858.

                        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

 

        [f.04]

Padre Vasconcellos

     Registro de uma posse de terras na fazenda

     Boqueirão sita n’esta Freguezia de Nossa

05 Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

 

     Roberto Henriques d’oliveira traz a re-

     gistro a parte de terras que possua por

     doação na fazenda Boqueirão sita n’es-

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

10 do Môrro do Chapéo, sendo essa parte dentro

     das extremas da mesma fazenda á que se

     refere, e é dada a registro por Dona Ger-

     trudes de Santa Maria de Jezus. Roberto

     Henriques d’Oliveira. Freguezia de

 15 Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo 3 de Fevereiro de 1858. Apresentado no

     dia 3 de Fevereiro de 1858.

                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

 

        [f.04v]

 

     Registro das terras denominadas – Pôço do peixe.

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça do Môrro do Chapéo.

 

05 Dona Gertrudes de Santa Maria de Jezus

     tráz a registro suas terras do – Pôço do peixe =

     que possue por compra, sitas n’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça e suas extre-

     mas são as seguintes. Para o nascente no ria-

10 cho da Varzea dos Urubús; para o poente na

     porteira com terras de Dona Maria de Jezus

     Cardoza de Lima; para o nórte com terras

     de Dona Helena Xavier de Menezes; e para

     o sul com terras da Fazenda São Rafael.

15 Assigno por mandado de minha mãi por

     não pôder escrever. Florencio Rodrigues

     d’Oliveira Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo 15 de Fevereiro

     de 1858. Apresentado no dia 15 de Fevereiro de

20 1858.        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

 

 

        [f.05]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas – Bôca

     da matta sitas n’esta Freguezia de Nossa Se-

05 nhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

 

     Dona Gertrudes de Santa Maria de Jezus tráz

     á registro as terras da – Bôca da matta – si-

     tas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     de cujas está de posse á mais de vinte annos por

10 descuberta feita por seo finado marido, e tem

     as confrontações seguintes: Para o nascente

     na baixa que vem do Cadeira me dóe, e cir-

     cula thé o Ôlho d’agoa de dentro; para o poente

     na baixa que vem do Affonso; para o norte no

15 Cadeira me dóe; e para o Sul no ôlho d’agôa de

     Jozesinho, com terras de Florencio Rodrigues

     d’oliveira. Assigno por mando de minha mãi

     por não puder escrever  Florencio Rodrigues d’Oli-

     veira. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

20 Môrro do Chapéo 15 de Fevereiro de 1858.

                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.05v]

 

     Registro das terras da fazenda Cannabrava sita

     a’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Mor-

     ro do Chapéo.

 

 

05 Dona Gertrudes de Santa Maria de Jezus traz a Regis-

     tro as terras da fazenda - Cannabrava - sita n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça e que houve por

     compra, e suas extremas são as seguintes; Para o nas-

     cente onde inteirar meia legoa; para o poente on-

10 de inteirar trez legoas marcando da beira da Ve-

     rêdá; para o norte na passagem funda; e para

     o sul no Riacho Sêcco com terras da fazenda São

     José. Assigno por mando de minha mãi por

     não poder escrever. Florencio Rodrigues d’Oli-

15 veira. Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça do Môrro do Chapéo 16 de Fevereiro de 1858.

     Apresentado no dia 16 de Fevereiro de 1858.

                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas Fazenda nóva si-

     ta n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

05 Môrro do Chapéo.

 

     Florencio Rodrigues d’Oliveira traz a registro

     as terras denominadas – Fazenda nova-sita n’es-

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça que

     as houve por compra, e suas confrontações

10 são as seguintes = Para o nascente na encru-

     zilhada da Baix [sic] da mantêga; para o poen-

     te na baixa que circula do Affonso á Lagôa

     da Serra; para o norte no olho d’agoa de Joze-

     sinho; e para o sul na baixa do Affonso.

15 Florencio Rodrigues d’oliveira. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo 16 de Fevereiro de 1858. Apresentado

     no dia 16 de Fevereiro de 1858.

 

                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.06v]

 

     Registro das terras denominadas - Bocaina dos

     peixes – sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo.

 

05 Candido José de Souza traz a registro as terras

     denominadas – Bocaina dos peixes que possue,

     n’esta Freguezia, por herança, e suas extre-

     mas são as seguintes = Para o nascente extreman-

     do com a estrada antes huma legoa; para o po-

10 ente a verêda partida ao meio; para o norte

     na Ladeira das mamonas; e para o sul no fun-

     do do Brejo. Candido José de Souza. Fregue-

     zia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do Cha-

     péo 17 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia

15 17 de Fevereiro de 1858.

 

                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.07]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas = Bôa vista = sitas nes-

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha

05 péo.

 

     José Malheiros de Mello tráz á registro as terras = Bo-

     a vista = de que está de posse n’esta Freguezia de Nossa

     Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo, sendo sua situação

     nos limtes [sic] do Destricto da Capella do Riachão do Bom

10 Jezus da Esperança filial d’aquella Matriz, ter-

     ras essas que forão descobertas a vinte annos á esta

     parte por elle possuidos, que de presente esta na pos-

     se daquellas que começando do márco de Joaquim

     da Hora, genro d’elle possuidor, desce pelo rio do Tinga

15 ábaixo até á Lagôa dos viados, na paragem em

     que está outro marco ferrado; e d’ahi pela parte

     do poente até o alto rio Bonito, e d’aqui abrangen-

     do todas as vertentes até encontrar com as ditas ex-

     tremas de Joaquim da Hora. José Malheiro de Mel-

20 lo. Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do

     Chapéo 18 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia 18 de

     Fevereiro de 1858. O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

 

        [f.07v]

 

     Registro das terras denominadas = Rio vêrde sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

 

05 Joaquim Apolinario Cannavêrde, traz á registro

     as terras do sitio = Rio vêrde, que possue por compra

     sendo sua situação nos limites da Capella do Senhor

     Bom Jezus da Esperança, filial á Matriz d’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça, e as extremas são as

10 seguintes. Para o nascente no grotão; para o poen-

     te na cancella de José Joaquim; para o sul

     no rio mocambo; e para o norte no rio do Tin-

     ga Joaquim Apolinario Cannavêrde. Fregue-

     zia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do

15 Chapéo 18 de Fevereiro de 1858. Apresentado

     no dia 18 de Fevereiro de 1858.

 

                           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.08]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas = Sitio da Lapa =

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     Francisco Alves d’Almeida traz á registro as terras

     do Sitio da Lapa = que possue por compra, n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, sendo sua

     situação nos limites do Senhor Bom Jezus da

10 Esperança, filial d’aquella Matriz, e suas

     extremas são as seguintes. Para o nascente

     com terras de Florencio Rodrigues da Costa,

     para o poente com terras do mesmo na la-

     gôa do Urussú, para o norte no Grotão, e pa-

15 ra o sul onde fizer com em terras de Mano-

     el Correia. Francisco Alves d’Almeida. Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môr-

     ro do Chapéo 18 de Fevereiro de 1858. Apre-

     sentado no dia 18 de Fevereiro de 1858.

                         O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.

        [f.08v]

 

     Registro das terras denominadas = Bôa vista = sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

05 Francisco Alves d’Almeida traz a registro as terras

     do sitio – Bôa vista – que possue por compra e no qual

     outros teem partes por herança, sendo sua situação

     nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus da Espe-

     rança filial á Matriz d’esta Freguezia de Nossa Se-

10 nhôra da Graça, e suas extremas são as seguintes – Pa

     ra o nascente o rio da Tinga ácima no riacho da Ta-

     laia; para o poente rio ábaixo com Joaquim de San-

     ta Anna Barros; para o sul o mesmo rio, e para o nor-

     te extremando com terras do Senhor Bom Jezus e

15 os filhos de Rozaura Rodrigues. Francisco Alves

     d’ Almeida. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo 19 de Fevereiro de 1858.

     Apresentado no dia 19 de Fevereiro de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

        [f.09]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas = Sitio da Vargem =

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     Vicente José Pereira traz á registro as terras do

     Sitio da Vargem = que possue por compra, sendo

     sua situação nos limites da Capella do Senhôr

     Bom Jezus da Esperança filial á esta Ma-

10 triz de Nossa Senhôra da Graça e teem as extre-

     mas seguintes = Para o nascente extrema com

     terras de Florencia Rodrigues da Costa; para o

     poente com Manoel de Barros d’Araújo, pa-

     ra o norte com terras da Fazenda da Santa Crúz

15 para o sul com terras de José Vicente Ferrei-

     ra. Vicente José Pereira. Freguezia de Nossa

     Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 19 de Feve-

     reiro de 1858. Apresentado no dia 19 de Feve-

     reiro de 1858.

20            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos         [f.09v]

     Registro das terras do Sitio denominado = Bom gôsto =

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo.

05 Vicente José Pereira, traz a registro as terras do

     Sitio = = Bom gôsto = que possue por compra; sendo

     sua situação nos limites da Capella do Senhor

     Bom Jezus da Esperança, filial á Matriz d’es-

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e suas

10 extremas são as seguintes. Para o nascente nos Ta-

     boleiros; para o poente com o riaxo do Bom suc-

     esso, onde fizer meio; para o norte na ladeira

     do Tostado ao sahir do Taboleiro, e para o sul com

     José Joaquim de Santa Anna onde tem um

15 marco. Vicente José Pereira. Freguezia de

     Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo

     19 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia 19

     de Fevereiro de 1858.

 

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos                  [f.10]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas – Póços - sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

05 Chapéo.

     Dona Helena da Silva Xavier de Menezes traz

     á registro as terras denominadas = Póços = que hou-

     ve por compra ao Excellentissimo Conde da Ponte,

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

10 e suas confrontações são as seguintes. Pela par-

     te do nascente confronta com o sitio das Pedras no

     riaxo do mesmo sitio; para o poente no Boquei-

     rão de baixo; para o sul com o sitio do Môrro na

     baixa das Caraíbas; para o norte no riaxo das

15 Jaboticabas que vem extremar na Barra entre

     norte e nascente, que pode ter legoa e meia pou-

     co mais ou menos; e de sul a norte um quarto de

     legoa pouco mais ou menos, onde tão bem compre-

     hende o distaque das Caraibas. A rôgo de Dona Hele-

20 na da Silva Xavier de Menezes, Domingos Antonio

     de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhora da Graça

     do Môrro do Chapéo 19 de Fevereiro de 1858.

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.10v]

     Registro de diversas posses de terras annexas e de um só

     possuidor, sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo.

05 Manoel Barboza de Souza vem registrar as terras dos Sitios

     e sôltas de boiadas, e criação de vacum e cavallar, unidas e

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e que houve

     por compra. Hum denominado n’aquelle tempo – Larga do

     Raymundo e hoje – Lagôa, com extremas para o nascente e a

10 Bôa Esperança, no riaxo; para o nórte cortando do riaxo o

     rumo direito para o poente, no tópe da ladeira que sobe

     para o Affonso; e para o mesmo poente até a boca da mat-

     ta que vai para as Pedras; de lá para o sul cortando pela

     cabeceira do riaxo chamado – Paú d’arco – á embeiçar na lar-

15 ga denominada Manoel Correia, e pela parte do Souhin

     cortando do môrro do Sovélla ábaixo de um riaxo á outro,

     e tera de nascente a poente trez quartos de legoa, e de nor-

     te a sul trez legoas. O sitio denominado – Affonso – extrema

     com a Lagôa na ladeira, para o sul, para o norte nas

20 mattas; para o nascente com o de nome João Pereira – no

     riacho e na cabeceira e na nascença dágoa segue abai-

     xa mais funda ácima, até entrar na matta; para o

     poente tambem na matta pode ter uma e meia le-

     goa de norte á sul, e de nascente a poente. O sitio e

25 larga de nome – Moreira – terá de norte á sul meia

     legoa, e de nascente á poente uma e meia legoa, do rio

     Paú d’arco – ao Bonito. O sitio – Paú d’arco – terá uma le-

     goa da nascença do mesmo rio, e nascente ao poente

     na cabeceira do rio Bonito, tera uma legoa; e do

30 norte á sul duas legoas, e este ultimo, como pósse de

     descobridor á mais de vinte annos, e sempre cultiva

[f.11]

Padre Vasconcellos

 

     [ilegível] Manoel Barboza de Souza Freguezia de Nossa

     Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 20 de Fevereiro

05 de 1858. Apresentado no dia 20 de Fevereiro de 1858

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

     Registro das terras do sitio denominado – Duas Barras –

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo.

10 Manoel Barboza de Souza traz á registrar as terras

     do sitio denominado – Duas Barras – as partes que

     n’elle possue por herança e por compra sitas n’es-

     ta Freguezia, tendo para o norte meia legoa; pa-

     ra o sul no brejo do José – uma legoa; para o nas-

15 cente duas legoas; para o poente no rio que cor-

     re no meio da baixa. Manoel Baboza de

     Souza. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapeó 20 de Fevereiro de 1858.

     Apresentado no dia 20 de Fevereiro de 1858

20                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos [f.11v]

     Registro das terras da fazenda Riaxo das pedras- sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

05 Manoel Barboza de Souza traz a registrar as ter-

     ras da fazenda = Riaxo das pedras = que houve por

     compra, sitas n’esta Freguezia, que tem para

     o nórte duas legoas nas Barrigudas; para o sul

     duas legoas, para o nascente, no Radiador dos

10 Fitos, trez legoas, e para o poente no Tanque

     uma legoa. Manoel Barboza de Souza.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 20 de Fevereiro de 1858. Apresenta-

     do no dia 20 de Fevereiro de 1858.

15                             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos.12]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras do sitio denominado -Cafarnaú

     sitas n’esta Freguezia de Nôssa Senhora da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

 

     Manoel Barboza de Souza traz á registrar as ter-

     ras do sitio denominado = Cafarnaú = sitas n’es-

     ta Freguezia, cujos limites são – partindo do Ôlho

     d’agoa um quarto de legoa para os quatro pon-

10 tos cardiaes. Manoel Barboza de Souza. Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 20 de Fevereiro de 1858. Apresen-

     tado no dia 20 de Fevereiro de 1858.

                             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.12v]

     Registro de diversas posses de terras annexas, e sitas n’es-

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Morro do

     Chapéo.

05 Manoel Barboza de Souza traz á registrar as par-

     tes que possue nas terras das fasendas e sitios ábaixo

     declaradas, e são todas unidas umas as outras e sitas

     n’esta Freguezia. A quarta parte da fazenda deno-

     minada = Santo Antonio = que tem outros comdo-

10 minios, e o vendedor não deo as extremas. Huma

     parte na fasenda Tapéra de baixo – que tem ou-

     tros condominos, e o vendedor não deo as extremas.

     Huma parte no Sitio = Lagôa de dentro = que

     tem outros comdominos e o vendedor não deo as

15 extremas. Huma parte no sitio = Bonifacio = que

     tem outros comdominos e o vendedor não deo as extre-

     mas. A maior parte da fazenda = Rio Prêto = que

     tem outros condominos e os vendedores não deráo as

     extremas. Manoel Barboza de Souza. Fregue-

20 zia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo 20 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia

     20 de Fevereiro de 1858.

 

             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

f.13]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras do sitio denominado – Môrro pellado =

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Craça do

05 Môrro do Chapéo.

     José dos Santos Lopes traz á registro as terras do sitio =

     Môrro pellado = que possue por compra, sendo sua si-

     tuação nos limites da Capella do Senhor Bom Je-

     zus da Bôa Esperança filial á Matriz d’esta Fre-

10 guezia de Nossa Senhora da Graça, e tem as extremas

     seguintes = Para o nascente o rio do mesmo sitio; pa-

     ra o poente no Riaxo fundo; para o norte rio ácima

     em sua caza na estrada, e para o sul rio ábaixo

     hum quarto de legoa athé a barra do Riaxo, ex-

15 tremando com Herculano José d’Almeida. A pe-

     dido de José dos Santos Lopes. Domingos Antonio de

     Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo 20 de Fevereiro de 1858. A pre-

     sentado no dia 20 de Fevereiro de 1858.

20           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.13v]

 

     Registro das terras da fazenda – Salina – sita n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

 

    José dos Santos Lopes traz á registro as terras da fazen-

05 da = Salina = que possue por compra, sitas n’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo,

     sendo suas demarcações as seguintes = Para o nascente

     com terras do Major Guilhermino no logar chama [sic]

     García; para o poente na baixa da Piedade; para

10 o nórte fazendo meio com Lagôa dentro; e para

     o sul com terras do Commandante Superior Quin-

     tino; onde direito for. A pedido do José dos Santos

     Lopes, Domingos Antonio de Carvalho. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 20

15 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia 20 de Fe-

     reiro de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos                             [f.14]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras do sitio = Bôa vista = sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

05 Bento José Lourenço traz á registro as terras do si-

     tio = Bôa vista = que possue por compra, sendo sua

     situação nos limites da Capella do Senhor Bom

     Jesus da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e tem a de-

10 marcaçoens [sic] seguintes – Para o nascente com terras

     de Benedicto José Rodrigues; para o poente no

     rio Tinga, com Francisco Alves d’Almeida; para

     o norte rio ácima, com o sitio de Josefa de tal, onde

     tem hum marco; e para o sul rio ábaixo, com

15 Francisco Borges da Silva, onde tem outro marco.

     A pedido de Bento José Lourenço, Domingos An-

     tonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhora

     da Graça do Môrro do Chapéo 22 de Fevereiro de

     1858. Apresentado no dia 22 de Fevereiro de 1858.

20           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos  [f.14v]

     Registro das terras do sitio = Estiva = sita n’esta Freguezia de

     Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

    Joaquim de Santa Anna Barros, traz á registro as terras

05 do sitio = Estiva = que possue por compra, sendo sua si-

     tuação nos limites da Capella do Senhôr Bom Jezus da Bôa

     Esperança filial á Matriz d’esta  Freguezia de Nossa

     Senhôra da Graça e suas extremas são as seguintes – Para

     o nascente rio do Tinga ácima com terras de Francisco

10 Alves d’Almeida; para o poente rio ábaixo com terras

     de José do Roque; para o norte o mesmo rio Tinga,

     e para o sul com terras do Senhor Bom Jezus. A pedi-

     do de Joaquim de Santa Anna Barros, Domingos

     Antonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra

15 da Graça do Môrro do Chapéo 22 de Fevereiro de 1858.

     Apresentado no dia 22 de Fevereiro de 1858.

                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcelos

[f.15]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras do sitio – Cachoeira - sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

05 Dona Emiliana Virginia de Mello, traz a regis-

     tro as terras do sitio = Cachoeira = que possue por

     herança do seo marido, sendo sua situação nos limi-

     tes da Capella do Senhor Bom Jezus da Bôa Esperan-

     ça; filial á Matriz d’esta Freguezia de Nossa Se-

10 nhôra da Graça; e principia suas extremas do mar-

     co que está levantado fronteiro á cachoeira do 

     rio – Lages – e por elle ábaixo até outro marco que

     devide com seo Pay José Malheiro de Mello; e pela

     parte da cachoeira, até o alto do rio Bonito. A pe-

15 dido de Dona Emiliana Virginia de Mello, Domin-

     gos Antonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Se-

     nhôra da Graça do Môrro do Chapéo 22 de Fevereiro

     de 1858. Apresentado no dia 22 de Fevereiro de 1858.

     O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.15v]

 

     Registro das terras do sitio denominado – Brejão - sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do Cha-

     péo.

05 José Joaquim d’Araújo traz á registro as terras do sitio

     Brejão – que possue por compra sendo sua situação

     nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus da Bôa

     Esperança, filial á Matriz d’esta Freguezia de Nos-

     sa Senhôra da Graça, e suas extremas são as que se

10 seguem = Principia do dicto Brejão em procurado

     Sonhéin até huma baixinha que corre de nas-

     cente á poente, e d’ahi cortando rumo direito a

     passagem do Lagedinho, e n’essa confrontação en-

     tre o rio do Brejão, e do Bom successo, até onde fize-

15 rem barra. A pedido de José Joaquim d’Araújo,

     Domingos Antonio de Carvalho. Freguezia de

     Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 22 de

     Fevereiro de 1858. Apresentado no dia 22 de Feve-

     reiro de 1858.

20            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.16]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras do sitio – Patís – sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

05 péo.

     José Joaquim d’Araujo traz a registro as terras

     do sitio – Patís – que possue por compra, sendo

     sua situação nos limites da Capella do Senhor

     Bom Jezus da Bôa Esperança filial á Ma-

10 triz d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra

     ça, e tem as confrontaçoens seguintes. Para o

     nascente com os moradores do Olho d’agôa, para

     o poente o rio do Môrro pellado, para o norte, rio

     ácima, com terras de João Felix Rodrigues, 

15 e para o sul na barra do Riaxo fundo. A pe-

     dido de José Joaquim d’Araújo, Domingos Anto-

     nio de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo 22 de Fevereiro de

     1858. Apresentado no dia 22 de Fevereiro de 1858.

20             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos [f.16v]

 

     Registro das terras do sitio – Brejão – sita n’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

    José Joaquim d’Araújo, traz á registro as terras do si-

05 tio = Brejão = que possue por compra, sitas nos limi-

     tes da Capella do Senhor Bom Jezus da Bôa Espe-

     rança, filial á Matriz d’esta Freguezia de Nossa

     Senhôra da Graça, e teem as confrontaçoens se-

    guintes – Rio do Brejão ácima em uma tapa-

10 gem nova, rio dicto ábaixo extremando com terras

     de Luiz Dias Velho; para o lado do poente o mes-

     mo rio; e para o nascente com terras do sitio Bom

     successo. A pedido de José Joaquim d’Araújo, Do-

    mingos Antonio de Carvalho. Freguezia de

15 Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 23

     de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia 23 de

     Fevereiro de 1858.

               O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos [f.17]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras do sitio = Môrro Pellado = sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha

05 péo.

     João Felix Rodrigues traz á registro as terras do si-

     tio = Môrro Pellado = que possue por compra, sendo

     sua situação nos limites da Capella do Senhor Bom

     Jezus da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta

10 Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e tem as de-

     marcaçoens seguintes = Para o nascente com ter-

     ras do Sitio – Olho d’agôa = para o poente o rio do

     mesmo sitio; para o norte na estrada em sua

     porta, com Vidal dos Santos; e para o sul com

15 a cêrca de José Joaquim d’Araujo. A pedido

     de João Felix Rodrigues de Jezus, Domingos An-

     tonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo 23 de Fevereiro de

     1858. Apresentado no dia 23 de Fevereiro de 1858.

20             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.17v]

     Registro das terras do sitio = cannabrava = sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

    Manoel Martins dos Santos traz á registro as terras do si-

05 tio = Cannabrava = que possue por descoberta á bastan-

     tes annos; sendo sua situação nos limites da Capella

     do Senhor Bom Jezus da Bôa Esperança, filial á

     Matriz d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça, e as extremas são as que seguem-se = Para o nascen-

10 te no rio do Tinga; para o poente a estrada velha,

     para o norte com Francisco José Malheiro; e pa-

     ra o sul com Benedicto de Tal Manoel Martins

     dos Santos. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo 23 de Fevereiro de 1858. Apre-

15 sentado no dia 23 de Fevereiro de 1858.

                O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.18]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras do sitio = Bom será = sitas n’es

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

05 do Chapéo.

     Manoel Martins dos Santos e Pedro Meirellles da

     Silva trazem á registro as terras do sitio – Bom se-

     rá – que possuem por compra, em sociedade, sendo

     sua situação nos limites da Capella do Senhor Bom

10 Jezus da Bôa Esperança, filial á esta Matriz

    de Nossa Senhôra da Graça e tem as demarca-

     çoens seguintes – Para o nascente onde der uma

     legoa; para o poente no rio do Tinga com a

     cachoeira; para o norte na cabeceira da Lagôa

15 do peixe, em sima com o sitio de Francisco de

     Tal; e para o sul no Moquém do Boi. Manoel

     Martins dos Santos. A rôgo de Pedro Meirelles

     da Silva, Padre Maximiano da Silva Pimen-

     tel. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

20 Môrro do Chapéo 23 de Fevereiro de 1858. Apre-

     sentado no dia 23 de Fevereiro de 1858.

             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.18v]

 

     Registro das terras do sitio - Ôlho d’agoa - sitas n’esta Fre

     guezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do Chapéo.

    Helena Maria do Espirito Santo e Pedro Meirelles da

05 Silva trazem á registro as terras do sitio – Olho d’agôa que

     possuem por herança e em commum, sendo sua situa-

     ção nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus da Bôa

     Esperança, filial á Matriz d’esta Freguezia de Nossa Se-

     nhôra da Graça, e tem as extremas seguintes = Para o nas-

10 cente no rio do Arraial; para o poente fazendo meio com

     o sitio Patis; para o norte com terras de Anna Bazilia

     e para o sul com terras de Maria Alves dos Santos.

     A rôgo de Pedro Meirelles da Silva e Helena Maria

     do Espirito Santo, Padre Maximiano da Silva

15 Pimentel. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo 24 de Fevereiro de 1858.

     Apresentado no dia 24 de Fevereiro de 1858.

            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.19]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas- Discoberto - sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

05 do Chapéo.

     Bernardino dos Reis Santos vem registrar suas

     terras denominadas – Discoberto – sitas n’esta Fregue-

     zia, as quaes houve por descoberta e se limitão ao

     modo seguinte = Para o nascente meia legoa; para

10 o poente no rio Tinga, para o nórte no marco,

     e para o sul no pôço feio. E por não saber ler

     nem escrever pedi ao Major Carlos Lopes Cezar

     que este escrevesse e assignasse. A pedido do ap-

     presentante - Carlos Lopes Cezar. Freguezia de

15 Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo

     24 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia

     24 de Fevereiro de 1858.

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos}

[f.19v]

     Registro das terras denominadas- Retiro da Bôa vis-

     ta sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Gra-

     ça do Môrro do Chapéo.

05 Rozauria Maria da Conceição vem registrar su-

     as terras denominadas – Retiro da Bôa vista – sitas

     n’esta Freguezia, as quaes houve por descoberta e se-

     limitão do modo seguinte; Para o nascente no rio

     Tinga; para o poente onde fizer meio com os con-

10 finantes; para o nórte no marco; e para o sul na

     Cachoeira grande do rio do Arraial do Tinga. E por

     não saber ler, nem escrever pedi ao Major Carlos Lo-

     pes Cezar que este escrevesse e assignasse. A pedido

     do apresentante Carlos Lopes Cezar. Freguezia

15 de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 25

     de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia 25 de

     Fevereiro de 1858.

            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos                [f.20]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas- Goiabeiras - sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do

05 Chapéo.

     Manoel Bento Ferreira vem registrar suas terras

     denominadas – Goiabeiras – sitas n’esta Fregue-

     zia as quaes houve por compra, e se limitão do

     modo seguinte. Para o nascente nas Goiabeiras;

10 para o poente na ponta do môrro onde encos-

     ta no rio, para o nórte nos desagôas desagôas, [sic]

     e para o sul no rio. E por não saber lêr e nem

     escrever, pedi ao Major Carlos Lopes Cezar que

     este escrevesse e assignasse. A pedido do apre-

15 sentante, Carlos Lopes Cezar. Freguezia de

     Nossa Senhôra da Graça do Morro do Chapéo

     25 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia

     25 de Fevereiro de 1858.

          O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos 

[f.20v]

 

     Registro das terras denominadas- Baixa grande – si-

     tas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro 

     do Chapéo.

05 Apolonio Ribeiro Quinta vem registrar suas terras

     denominadas – Baixa grande – sitas n’esta Fregue-

     zia as quaes houve por descoberta, e se limitão do

     modo seguinte – Para o nascente um quarto de legoa,

     para o poente no rio Tinga, por este ácima no mar-

10 co, e para baixo tambem no marco. E por não sa-

     ber ler e nem escrever pedi ao Majór Carlos Lopes

     Cezar que este escrevesse e assignasse. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo

     25 de Fevereiro de 1858. Apresentado no dia

15 25 de Fevereiro de 1858.

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.21]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas- Jenipapo – sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro 

05 do Chapéo.

     Benedicto Alves Pereira vem registrar suas terras de-

     nominadas – Jenipapo – sitas n’esta Freguezia, as

     quaes houve por descoberta, e se limitão do modo

     seguinte = Para o nascente no rio Tinga, para o

10 poente na estrada vélha do rio Bonito, para o Nor-

     te no marco; para o súl tambem no marco.

     E por não saber ler e nem escrevêr pedi ao Ma-

     jor Carlos Lopes Cezar, que este escrevesse e as-

     signasse. A pedido do apresentante, Carlos Lo-

15 pes Cezar. Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça do Môrro do Chapéo 25 de Fevereiro de 1858.

     Apresentado no dia 25 de Fevereiro de 1858.

             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos            [f.21v]

     Registro das terras denominadas- Egipto – sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro  do Chapéo.

    O Major Carlos Lopes Cezar vem registrar suas terras

05 denominadas – Egipto – sitas n’esta Freguezia de hum

     e outro lado do rio Tinga que as houve por descober-

     ta, e se limitão do mo [sic] modo seguinte – Na mar-

     gem do nascente tem para este rumo huma lego-

     a, rio ácima no marco, rio abaixo tambem no

10 marco, e na margem do Poente vai n’este ru-

     mo até a estrada velha do rio Bonito, rio ácima

     no jenipapeiro, e rio ábaixo na lagoa dos pórcos.

     Carlos Lopes Cezar. Freguezia de Nossa Senhô-

     ra da Graça do Môrro do Chapéo 27 de Fevereiro de

15 1858. Apresentado no dia 27 de Fevereiro de 1858.

               O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos               [f.22]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas- Cannabrava –

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

05 Môrro  do Chapéo.

     O Major Carlos Lopes Cezar vem registrar suas

     terras denominadas – Cannabrava – sitas na mar-

     gem do nascente da Verêda do Romão, n’esta Fre-

     guezia, as quaes houve por compra, e se limitão

10 do modo seguinte: verêda ácima na Grota das ma-

     monas, para baixo onde fôr o meio d’este sitio, pa-

     ra o nascente com as terras do sitio Ôlho d’agôa da

     travessia – O resto das terras d’este mesmo sitio – Canna-

     brava – extrema vereda ábaixo na passagem vé-

15 lha do Itapicurú, verêda ácima á unir com a dic-

     ta Cannabrava, para o nascente duas legoas:

     tem mais n’este mesmo sitio huma porção de ter-

     ra de hum e outro lado da verêda, sercada de serras,

     propria para uma manga. Carlos Lopes Cezar.

20 Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro  do

     Chapéo 2 de Março de 1858. Apresentado

     no dia 2 de Março de 1858.

             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

f.22v]

     Registro das terras denominadas- Lagôa da almeçega –

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo.

05 Fabriciano da Rocha Cezar vem registrar suas terras

     denominadas – Lagôa almeçega – sitas n’esta Fre-

     guezia as quaes houve por discoberta, e se limitão

     do modo seguinte, para o nascente no rio Tinga

     para o poente hum quarto de legoa rio ácima

10 no marco, e rio ábaixo no angico grôsso.

     Fabriciano da Rocha Cezar. Freguezia de

     Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 2

     de Março de 1858. Apresentado no dia 2 de Mar-

     ço de 1858.

15                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos     [f.23]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas- Olho d’agôa –

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

05 Môrro  do Chapéo.

     Maria Alves dos Santos tras á registro as terras do

     sitio = Olho d’agôa = que possue por compra, sen-

     do sua situação nos limites da Capella do Se-

     nhor Bom Jezus da Bôa Esperança, filial

10 á esta Matriz de Nossa Senhôra da Graça, e

     tem as extremas seguintes = Para o nascente

     onde fizer meio com o sitio do Tinga; para

     o poente fazendo meio com o sitio - Patís -;         

     para o norte com Anna Bazilia e Pedro

15 Meirelles; e para o sul com Antonio de Tal.

     A rôgo de Maria Alves dos Santos, Domingos

     Antonio de Carvalho. Freguezia de Nossa

     Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 4

     de Março de 1858. Apresentado no dia

20 4 de Março de 1858.

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.23v]

     Registro das terras denominadas- Estiva – sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro  do Chapéo.

     Joaquim Ferreira da Silva traz á registro as terras do si-

05 tio = Estiva = que possue por compra, sitas nos limites da

     Capella do Senhor Bom Jezus da Bôa Esperança fi-

     lial á Matriz d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça, e tem as extremas seguintes = Da passagem

     da Estiva do riaxo ôlho d’agôa por elle ácima athé

10 uma touceira de bannaneiras, e d’esta procurando o

     nascente a extremar com as terras de José Anto-

     nio, no rio Tinga, e da passagem da estiva procuran-

     do tambem o nascente á extremar com terras do

     mesmo José Antonio. A rôgo de Joaquim Ferrei-

15 ra da Silva, Domingos Antonio de Carvalho.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro  do

     Chapéo 6 de Março de 1858. Apresentado no dia

     6 de Março de 1858.

                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos  

f.24]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras do sitio denominado- Pedras – sitas

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Mor

05 ro  do Chapéo.

     Manoel Caetano d’Almeida traz á registro o si-

     tio denominado – Pedras – que possue com. Felix Jo-

     sé de Sant’Anna, por descoberta que fizerão;

     sendo sua situação nos limites da Capella so Se-

10 nhor Bom Jezus da Bôa Esperança, filial á Ma-

     triz d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça; e tem as extremas seguintes = Para o nas-

     cente em um páo d’arco grande; para o poente

     com o rio do Tinga; para o norte com o Major

15 Carlos Lopes Cezar, e para o sul em hum pé

     de Jatobá grande. A rogo de Manoel Caetano de

     Almeida Domingos Antonio de Carvalho.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro 

     do Chapéo 9 de Março de 1858. Apresentado no

20 dia 9 de Março de 1858.

                    O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.24v]

     Registro das terras da fazenda denominada Tuyuyú

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Mor

     ro  do Chapéo.

05 Manoel de Miranda Montezuma traz á registro

     as terras da fazenda = Tuyuyú = que houve por he-

     rança sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça, e tem as confrontações seguintes = Prin-

     cipia do Tombador rio de Jacuipe ábaixo para o nas-

10 cente onde inteirar uma legôa; para o sul no logar

     denominado Bréjo, e para o nórte o rio Jacuipe

     Manoel Miranda Montezuma. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro  do Chapéo 10 de

     Março de 1858. Apresentado no dia 10 de Março

15 de 1858.

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

f.25]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas - Cachoeira, si-

     tas n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Graça do

05 Môrro do Chapéo.

      Antonio Ribeiro da Cruz traz á registro as terras do

     Sitio – Cachoeira – que possue por compra, sendo

     sua situação no limites [sic] da Capella do Senhor Bom

     Jezus da Bôa Esperança filial á Matriz de Nossa

10 Senhôra da Graça; e tem as extremas seguintes =

     Para o nascente com Balbina de Tal, para o

     poente, com Francisco Felix Ferreira; para o

     sul rio ábaixo com os moradores do Bonito; e

     para o norte com o mesmo Francisco Felix.

15 A rogo de Antonio Ribeiro da Cruz, Domingos

     Antonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Se-

     nhora da Graça do Môrro do Chapéo 11 de Mar-

     ço de 1858. Apresentado no dia 11 de Março de 1858.

                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos     [f.25v]

     Registro das terras da fazenda denominada = Feixo da

     Serra = sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

    ça do Môrro do Chapéo.

05 Manoel de Miranda Montezuma traz á registro as

     terras denominadas = Feixo da Serra = que possue n’es-

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e tem as

     as confrontacões seguintes = Para o nascente com

     a fazenda Tuyuyú, para o poente com o Monte

10 vidéo, para o sul com o cercado de déntro; e para

     o norte com os morcêgos. Manoel de Miranda

     Montezuma. Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça do Môrro do Chapéo 11 de Março de 1858.

    Apresentado no dia 11 de Março de 1858.

15         O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos     [f.26]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas - Cachoeira -

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     Eduardo Pereira do Nascimento moradôr n’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo, em conformidade da Lei apresenta para ser

     registrada, uma porção de terra que possue n’es-

10 ta mesma Freguezia, no Riachão do Tinga,

     denominada = Cachoeira = que houve por

     compra á Romão Ciriaco dos Santos e sua

     mulher, a qual terra tem as extremas seguin-

     tes = Para o nascente extremando com a Senho-

15 ra Rozaura onde desagôa para o Tinga; pa-

     ra o poente no rio do Ôlho d’agôa; para o norte

     em ôlho d’agoa que tem no mesmo logar, e

     para o sul em uma cachoeira que faz no

     mesmo rio. Riachão do Tinga 3 de Março de

20 1858. A rôgo de Eduardo Pereira do Nascimen-

     to; Ezequiel Rodrigues Costa do Brazil. Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

     Chapéo 13 de Março de 1858. Apresentado no

     dia 13 de Março de 1858.

25                            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

 [f.26v]

     Registro das terras denominadas – ôlho d’agôa sitas n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     Eduardo Pereira do Nascimento, morador n’esta Fregue-

05 zia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo, em

     conformidade da Lei apresenta apresenta [sic]  para ser re-

     gistrada, uma parte de terra que possue n’esta mes-

     ma Freguezia, no Riacho do Tinga denomina-

     da = Olho d’agôa = que houve por compra á Anto-

10 nio José Limeira e sua mulher, a qual terra

     tem as extremas seguintes = Para o nascente

     em cima do Môrro ao desagoar para o rio Tinga,

     para o poente no rio do Ôlho d’agôa; para o nór-

     te no pé de villão; e para o sul no marco do Ber-

15 nardo. Riachão do Tinga 3 de Março de 1858.

     A rôgo de Eduardo Pereira do Nascimento, Eze-

     quiel Rodrigues Costa do Brazil. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 13

     de Março de 1858. Apresentado no dia 13 de Mar-

20 ço de 1858.

                     O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos   [f.27]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas – Mulungú -    

     sitas n’esta Freguezia de Nôssa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     Homero Rodrigues da Silva vem registrar suas

     terras denominadas = Mulungú – sitas n’esta

     Freguezia as quaes houve por discoberta, e se li-

     mitão do modo seguinte, para o nascente me-

10 ia legôa, para o poente no rio Tinga, para o 

     norte no Pôço feio, e para o sul no marco.

     Homero Rodrigues da Silva. Freguezia de Nossa

      Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 13 de Março

     de 1858. Apresentado no dia 13 de Março de 1858.

15                O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.27v]

     Registro das terras denominadas – Passagem -  sitas n’es-  

     ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo.

05 Homero Rodrigues da Silva vem registrar suas terras

     denominadas = Passagem = sitas n’esta Freguezia

     as quaes houve por discoberta, e se limitão do

     modo seguinte, para o nascente meia legoa,

     para o poente no rio Tinga, para o norte com

10 herdeiros de José Antonio da Trindade, e para

     o sul no marco. Homero Rodrigues da Silva.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 13 de Março de 1858. Apresentado no

     dia 13 de Março de 1858.

15                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.28]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas = Lagôa das pórorocas =    

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

05 Môrro do Chapéo.

      Homero Rodrigues da Silva vem registrar suas ter-

     ras denominadas = Lagôa das porórocas = sitas n’es-

     ta Freguezia as quaes houve por discoberta e

     se limitão do modo seguinte, para o nascen [sic]

10 com Germano José de Souza, para o poente

     com os confinantes do rio Tinga, para o nórte

     com os confinantes do Mocambo, e para o sul

     meia legôa. Homero Rodrigues da Silva

      Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môr-

15 ro do Chapéo 13 de Março de 1858. Apresen-

     tado no dia 13 de Março de 1858.

        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos         [f.28v]

 

     Registro das terras denominadas = Antonio José = sitas   

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

     Chapéo.

05 Homero Rodrigues da Silva vem registrar suas ter-

     ras denominadas = Antonio José = sitas nes’ta Fre-

     guezia as quaes houve por herança e se limi-

     tão do modo seguinte, para o nascente no ria-

    cho da Talaia, para o poente onde fizer meio

10 com o sitio Bom sucesso, para o nórte no mar-

     co da estrada, e para o sul na bôca da matta.   

     Homero Rodrigues da Silva. Freguezia de Nos-

     sa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 13 de

     Março de 1858. Apresentado no dia 13 de Mar-

15 ço de 1858.

        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos  [f.29]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas = Lagôa nova =   

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     O Major Carlos Lopes Cezar vem registrar suas ter-

     ras denominadas - Lagôa nova – sitas n’esta Fregue

     zia as quaes houve por descoberta, e se limitão

     do modo seguinte, para o nascente com a [ilegível],

10 para o poente no rio Tinga, para o nórte com

     terras do sitio do Egipto, e para o sul no mar-

     co da barro [sic] do Bonito no Tinga. Carlos Lopes

     Cezar. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo 18 de Março de 1858. Apre-

15 sentado no dia 13 de Março de 1858.

        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.29v]

 

     Registro das terras denominadas = Conceição = sitas 

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

    do Chapéo.

05 Manoel Zacarias Nolasco vem registrar suas ter-

     ras denominadas = Conceição = sitas n’esta Fre-

     guezia, as quaes houve por discoberta, e se limi-

     tão do modo seguinte, para o nascente no rio Tin-

     ga, para o poente um quarto de legôa, para

10 o norte no angico grôsso, e para o sul no rio

     Bonito. Manoel Zacarias Nolasco. Fregue-

     zia de Nossa Senhôra da Graça do Morro do Chapéo

     13 de Março de 1858. Apresentado no dia 13 de

     Março de 1858.

15        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.30]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras denominadas = Alegre = sitas 

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Mor-

05 ro do Chapéo.

     Antonio Ribeiro Quinta vem registrar suas

     terras denominadas = Alegre = sitas n’esta Fre-

     guezia as quaes houve por descoberta, e se li-

     mitão do modo seguinte, para o nascente

10 um quarto de legoa, para o poente no rio

     Tinga, para o norte no marco, e para o sul

     tambem no marco; e por não saber ler e nem

     escrever, pedi ao Major Carlos Lopes Cezar

     que este escrevesse e assignasse. A pedido do apre-

15 sentante. Carlos Lopes Cezar. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     13 de Março de 1858. Apresentado no dia 13 de

     Março de 1858.

                 O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

.30v]

     Registro das terras denominadas = Sitio do meio = sitas 

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

    do Chapéo.

05 Francisco Jozé Malheiro vem registrar suas terras deno-

     minadas = Sitio do meio = sitas n’esta Freguezia as qua-

     es houve por dote, e se limitão do modo seguinte,

     para o nascente no rio Tinga, para o poente

10 no rio das Lages, por este ácima no rumo do

     norte com Antonio Francisco d’Almeida, e

     no Tinga no ranxo da rama, e para o sul na

     barra d’estes dous rios. Francisco Jozé Malhei-

     ro. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môr-

15 ro do Chapéo 13 de Março de 1858. Apresentado

     no dia 13 de Março de 1858.

                O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.31v]

     Registro das terras da fazenda denominada = Lagôa = 

     sita n’es [sic] Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

05 Dona Roza Maria de São José, tras a registro a parte

     de terras da Fazenda Lagoa, = que houve por heran-

     ça de seo finado marido, e possue em commum com

     os herdeiros d’esta, cuja fazenda foi desmembrada da

     fazenda = Garapa = sitas n’esta Freguezia de Nos –

10 sa Senhôra da Graça; e tem os limites por esta

     forma, como lhe foi dada = Meiâ legoa de fren-

     te; e uma de fundo. Roza Maria de São José.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 16 de Março de 1858. Apresentado no

15 dia 16 de Março de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

 [f.32]

Padre Vasconcellos

     Registro de posse de terras denominadas = olho d’agôa = 

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     José Gregorio da Rocha trás á registro um peda-

     ço de terras que possue por compra no logar deno-

     minado olho d’agoa, nos limites da Capella do Senhôr

     Bom Jezus da Bôa Esperança, filial á Matriz d’es-

10 ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça e tem as

     extremas seguintes = Para o nascente no rio do dic-

     to logar; para o poente no discambo do Ôlho d’agoa

     da baixa funda, para o norte juncto de um páo

     de vinhatico; e para o sul com terras de Anna

15 Rozilia, onde tem um marco. A rogo de José Gre-

     gorio da Rocha, Domingos Antonio de Carvalho.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

     Chapéo 16 de Março de 1858. Apresentado no

     dia 16 de Março de 1858.

20    O Vigario Joaquim Ignacio de

posse de terras no logar denominado

     olho d’agôa = sito n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo.

05 Felix Pedro da Rocha, traz á registro um pedaço de ter-

     ras que possue por compra no logar denominado

     Ôlho d’agôa, nos limites da Capella do Senhor Bom

     Jezus da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e tem as ex-

10 tremas seguintes = Para o nascente no rio do mes-

     mo logar; para o poente no discambo do Ôlho d’a

     gôa da baixa funda; para o sul com terras de

     Bernardino de Tal, onde tem um marco; e para

     o norte, com terras de Anna Bazilia, onde tem

15 outro marco. A rôgo de Felix Pedro da Rocha, Do-

     mingos Antonio de Carvalho. Freguezia de Nos

     sa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 16 de

     Março de 1858. Apresentado no dia 16 de Março

     de 1858.

20                  O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcello s

Padre Vasconcellos

     Registro das terras do sitio denominado = Salgado =

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

05 Môrro do Chapéo.

    Dona Roza Maria de São José, traz á registro a par-

     te de terras do sitio = Salgado =, que possue por he-

     rança de seo finado marido, e em commum, com

     os herdeiros do finado José de Souza Bessa, cuja

10 escriptura existe em podêr d’este; sita n’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça. Roza

     Maria de São José. Freguezia de Nossa Senho-

     ra da Graça do Môrro do Chapéo 18 de Março

     de 1858. Apresentado no dia 18 de Março de

15 1858.

               O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.33v]

 

     Registro de uma parte de terras da fazenda denomi

     nada = Vargem grande = sita n’esta Freguezia de Nos

05 sa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     Dona Roza Maria de São José, traz á registro a par-

     te das terras da fazenda = Vargem grande = que pos-

     sue por herança de seo finado marido, e em

     commum com os filhos d’este; cuja escriptura

10 e extremas tem o Capitão Constantino José Ca-

     valcante, como possuidor de metade da mesma

     fazenda, sita n’esta Freguezia de Nossa Se

     nhôra da Graça. Roza Maria de São José.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

15 do Chapéo 18 de Março de 1858. Apresenta

     do no dia 18 de Março de 1858.

             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.34]

Padre Vasconcellos

     Registro das terras da fasenda denominada = Santa

     Urçula = sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

05 ça do Môrro do Chapéo.

 

     Felippe Ferreira dos Santos, traz á registro as terras da

     fazenda = Santa Urçula = que possue por compra

     n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça; e tem

     as extremas seguintes = Para o nascente na barra

10 do riacho da Tapera; para o poente no alto do Olho

     d’Agôa do Corêa; para o norte na ponta da Serra,

     que vai da Tapéra de sima, e para o sul na

     Lapa da Vargem da Onça. Felippe Ferreira

     dos Santos. Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

15 ça do Môrro do Chapéo 19 de Março de 1858.

     Apresentado no dia 19 de Março de 1858.

             O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos         [f.34v]

     Registro das terras da fazenda denominada = Flores -

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

05 Belarmino José Teixeira Soares, natural e morador

     da Freguezia de Santo Antonio da Jacobina, leva ao

     registro a metade das terras da fazenda denomina-

     da = Flores – e Logradouro d’esta denominado – Volta

     sita, n’esta Freguezia do Morro do Chapéo, em com-

10 mum, a qual fazenda inteira, tem as extremas se-

     guintes; para o norte no logar chamado Morri-

     nho com terras da Barriguda, para o sul no Rio

     de Jacuipe em terras dos Olhos d’Agoa, para o nas-

    cente onde fizer meio com a fazenda Santo Anto-

15 nio e Almas das Macaubas, para o poente nas

     pedrinhas com terras do mesmo Logradouro Volta,

     que faz suas extremas para o norte com terras

     da mesma fazenda Flores, no logar chamado o

     meio do Taboleiro, para o sul no Rio de Jacuipe, pa-

20 ra o nascente com terras da mesma fazenda – Flores

     no logar chamado pedrinhas, para o poente com

     a fazenda Gorgalha [?] no logar chamado no Licu-

     zeiro. Jacobina 10 de Abril de 1858. Belarmi-

     no José Teixeira Soares. Freguezia de Nossa Senho-

25 ra da Graça do Môrro do Chapéo 21 de Abril de

     1858. Apresentado no dia 21 de Abril de 1858.

                       O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

       [f.35]

Padre Vasconcellos

     Registro da metade das terras da fazenda deno

     minada = Flores - sita n’esta Freguezia de Nôssa

05 Senhôra da Graça do Morro do Chapéo.

     Sallustiano José Teixeira Soares, natural e mo-

     rador na Freguezia de Santo Antonio da Jacobi-

     na; leva ao registro a metade das terras da Fazen-

     da denominada – Flores – e Logradouro d’esta de [sic]

10 minado – Volta -, sita na Freguezia do Môrro

     do Chapéo, em commum, a qual Fazenda in-

     teira, tem as extremas seguintes; para o nor-

     te no logar chamado Môrrinho com terras da

     Barriguda, para o sul no Rio de Jacuipe com

15 terras dos Olhos d’Agoa; para o nascente onde fi-

     zer meio com a Fazenda Santo Antonio e Al-

     mas das Macaúbas; para o poente nas Pe-

     drinhas com terras do mesmo Logradouro – Vol-

     ta, que faz suas extremas para o nórte com ter-

20 ras da mesma Fazenda Flores no logar chama-

     do o meio do Taboleiro, para o sul no Rio de Jacui-

     pe, para o nascente com terras da mesma Fa-

     zenda Flores no logar chamado Pedrinhas, pa-

     ra o poente com a Fazenda Gorgolha no logar

25 chamado no Licurizeiro. Jacobina 1º de

     Abril de 1858. Sallustiano José Teixeira Soares.

     Freguezia de Nôssa Senhôra da Graça do Morro

     do Chapéo 21 de Abril de 1858. Apresenta-

     do no dia 21 de Abril de 1858.

                         O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

       [f.35v]

     Registro de uma parte de terras da Fazenda deno-

     minada = Barriguda - sita n’esta Freguezia de Nos-

     sa Senhôra da Graça do Morro do Chapéo.

05 Sallustiano José Teixeira Soares, natural e mo-

     rador da Freguezia de Santo Antonio da Jacobi-

     na, leva a registro uma parte de terras que

     possue em commum na Fazenda Barriguda;

     digo denominada Barriguda sita n’esta Fre-

10 guezia do Môrro do Chapéo. Jacobina 6 de Abril

     de 1858. Sallustiano José Teixeira Soares.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 21 de Abril de 1858. Apresentado

     no dia 21 de Abril de 1858.

 

15       O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.36]

Padre Vasconcellos

       Registro de uma parte as terras da Fazen

     da denominada  Barriguda  sita n’esta Fre

05 guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

     Bellarmino José Teixeira Soares natural

     e morador da Freguezia de Santo Antonio

     da Jacobina leva a registro uma parte

10 de terras que possue em commum na Fa-

     zenda denominada Barriguda sita na

     Freguezia do Môrro do Chapéo. Jacobina

     6 de Abril de 1858. Bellarmino José Tei-

     xeira Soares. Freguezia de Nossa Senhôra

15 da Graça do Môrro do Chapéo 21 de Abril

     de 1858. Apresentado no dia 21 de Abril de

     1858.

       O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

       

[f.36v]

       Registro de meia legoa de terra e uma posse na

     Fazenda Boqueirão sita n’esta Freguezia de Nos

     sa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

05 O abaixo assignado traz á registro meia legoa de

     terra e uma posse a qual houve por compra

     na Fazenda Boqueirão, sita n’esta Freguezia

     do Môrro do Chapéo, á cujos limites se reporta.

     Domingos Manoel d’Oliver. Freguezia de Nossa

10 Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 23 de Abril

     de 1858. Apresentado no dia 23 de Abril de

     1858.

          O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

 

 [f.37]

Padre Vasconcellos

 

     Registro das terras denominadas – Môrro pelado –

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     Felix João dos Santos vem registrar suas terras deno-

     minadas - – Môrro pelado – sitas n’esta Freguezia

     as quaes houve por descoberta, e se limitão

     do modo seguinte, para o nascente onde fizer

10 meio com as terras do sitio – Destoque, para o

     poente no rio das Lages, para o norte com

     as terras da Fazenda Persia, e para o sul no

     alto da Lagôa sêcca. Felix João dos Santos.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

15 do Chapéo 23 de Abril de 1858. Apresentado

     no dia 23 de Abril de 1858.

          O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.37v]

      Registro das terras denominadas – Destoque – sita n’es-

    ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

    Chapéo.

05  Felix João dos Santos vem registrar suas terras deno-

     minadas – Destoque – sitas n’esta Freguezia as

     quaes houve por descoberta, e se limitão do mo-

     do seguinte: para o nascente no rio do Arraial

     e com terras de José Joaquim de Sant’Anna no

10 alto do môrro das Freiras, para o poente onde fi-

     zer meio com as terras do sitio Môrro pelado, pa-

     ra o norte com as terras de Herculano José

     d’Almeida, e para o sul com as terras de Mano-

     el Domingues de Souza. Felix João dos Santos.

15 Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 23 de Abril de 1858.

     Apresentado no dia 23 de Abril de 1858.

          O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.38]

Padre Vasconcellos

       Registro das terras denominadas – Barra – si-

     ta n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

05 do Môrro do Chapéo.

     Manoel Gregório da Silva vem registrar suas

     terras denominadas – Barra – sitas nesta Fre-

     quezia as quaes houve por descoberta, e se limi-

     tão do modo seguinte, para o nascente no rio

10 Tinga, para o poente onde fizer meio com as

     terras do sitio Destoque, para o norte no me-

     io da Lagôa e para o sul com Manoel Domin-

     gues de Souza, onde fizer meio com suas terras do

     sitio Tiririca com as do sitio Distoque de Fe-

15 lix João dos Santos e por não saber nem escre-

     ver pedi ao Major Carlos Lopes Cezar que

     este escrevesse e assignasse. A pedido do apre-

     sentante Carlos Lopes Cezar. Freguezia de Nos-

     sa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 23 de

20 Abril de 1858. Apresentado no dia 23 de Abril

     de 1858.

            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

 [f.38v]

 

     Registro da posse de terras denominada – Cambuy –

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo.

05 Anna Theodóra do Rozario vem registrar sua pos-

     se de terra denominada = Cambuy = que possue

     por discoberta sita no destricto do Senhor Bom

     Jezus da Boa Esperança filial á Freguezia do

     Môrro do Chapéo com as extremas seguintes,

10 para o nascente extremando com o Breginho,

     para o poente com o riacho dos Umbuzeiros,

     para o norte com Florencio, e para o sul com

     a Lagoa preta. A rôgo de Anna Theodóra do

     Rozario Padre Maximiano da Silva Pimentel

15 Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro

     do Chapéo 26 de Abril de 1858.

     Apresentado no dia 26 de Abril de 1858

            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.39]

Padre Vasconcellos

       Registro da posse de terra denominada Mucam-

     bo- sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

05 ça do Môrro do Chapéo.

     Anna Theodóra do Rozario vem registrar sua pos-

     se de terra denominada – Mucambo = sita no

     destricto do Senhor Bom Jezus da Bôa Espe-

     rança do Riachão do Tinga filial á Fregue-

10 zia do Môrro do Chapéo e que possue por

     compra com as seguintes extremas, para o

     nascente extremando com Vencesláo, para

     o poente, com Maria Florinda, para o norte

     com o rio do Mucambo; e para o sul na es-

15 trada do Orobó. A rôgo de Anna Theodora do Ro-

     zario. Padre Maximiano da Silva Pimentel.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

     Chapéo 26 de Abril de 1858. Apresentado no

     dia 26 de Abril de 1858.

20        O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.39v]

       Registro da posse de terras denominada = Cachoeira =

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

05 José Joaquim de Sant’Anna vem registrar sua posse

     de terra denominada = Cacheira = sita no destric-

     to do Senhor Bom Jezus da Bôa Esperança fili-

     al á Freguezia do Môrro do Chapéo e que possue

     por descoberta com as extremas seguintes =

10 para o nascente extremando no rio do Arraial,

     para o poente com Felix João dos Santos; para

     o norte com Manoel Pereira, e para o sul com

     Francisco Alves de Souza. A rôgo de José Joaquim

     de Sant’Anna Padre Maximiano da Silva Pi-

15 mentel. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo 26 de Abril de 1858. Apresen-

     tado no dia 26 de Abril de 1858.

            O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

 

 

[f.40]

Padre Vasconcellos

       Registro das terras do sitio denominado = Poço dos Bois

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

05 Môrro do Chapéo.

     Francisco das Chagas vem dar á registro um sitio

     denominado = Pôço dos Bois = de que é possuidor por

     descoberta que fez com Domingos José Gomes e

     José Pereira d’Aquino e que extrema do modo se-

10 guinte, da parte do norte extrema com um pa-

     ó ferro e da parte do sul extrema cum um páo

     de Coqueiro, da parte do nascente extrema 

     nos maninhos, da parte do poente no desa-

     goar da serra por não saber ler nem escrever,

15 pedi ao Senhor Francisco Fortunato da Silva

     Pimentel que este por mim assignasse. A rô-

     go de Francisco das Chagas, Francisco Fortuna-

     to da Silva Pimentel. Freguezia de Nôssa Se-

     nhôra da Graça do Môrro do Chapéo 26 de Abril

20 de 1858. Apresentado no dia 26 de Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.40v]

       Registro das terras do sitio denominado = Mandacarú -

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo.

05 Domingos José Gomes vem dar á registro um sitio

     de que é possuidor por descoberta denominado =

     Mandacarú = extremando da parte do sul com

     a Cannabrava, e da parte do norte com a cerca

     do meio; e da parte do poente no disago, e da par-

10 te do nascente no rio do Tinga. Por não saber

     ler nem escrever pedi ao Senhor Francisco For-

     tunato da Silva Pimentel que este por mim

     assigansse. A rôgo de Domingos José Gomes

     Francisco Fortunato da Silva Pimentel.

15 Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 27 de Abril de 1858. Apresentado

     no dia 27 de Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.41]

Padre Vasconcellos

       Registro de posse de terras denominada = Barri-

     nha sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

05 Graça do Môrro do Chapéo.

     André Avelino de Souza vem dar á registro su-

     a posse de terras denominada = Barrinha = que

     possue por herança do seo fallecido sogro Si-

     meão Barboza, sita nos limites da Capella do

10 Senhor Bom Jezus da Bôa Esperança, filial

     á esta Freguezia do Môrro do Chapéo, a qual

     tem as extremas seguintes = Rio do Tinga

     ácima extremando com Rozalia Maria da

     Concepção; o mesmo rio ábaixo extremando

15 com Manoel Dominges de Souza; procu-

     rando o norte no centro das catingas, e o sul

     no mesmo rio do Tinga. André Avelino de

     Souza. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo 27 de Abril de 1858.

20 Apresentado no dia 27 de Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.41v]

       Registro da posse de terras denominada = Passagem =

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo.

05 Saturnino Bispo Maia vem dar a registro sua pos-

     se de terra denominada = Passagem = que possue

     por compra sita no destricto do Senhor Bom Je-

     zus da Bôa Esperança do Riachão do Tinga fi-

     lial á Freguezia do Môrro do Chapéo com as

10 extremas seguintes = Para o nascente extreman-

     do com o sitio das Tapéra, para o poente no rio

     do Môrro pellado, para o norte com Romão; e

     para o sul com Eduardo. Saturnino Bispo Ma-

     ia. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Mor-

15 ro do Chapéo 27 de Abril de 1858. Apresentado

     no dia 27 de Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.42]

Padre Vasconcellos

        Registro da posse de terras denominada = Ôlho

      d’Agôa = sita n’esta Freguezia de Nossa Senhô-

05  ra da Graça do Morro do Chapéo.

      Manoel Joaquim de Sant’Anna vem registrar

      sua posse de terras denominada = Ôlho d’Agôa

      que possue por compra sita no districto

      do Senhor Bom Jezus da Bôa Esperança

10  filial à Freguezia do Môrro do Chapéo com

      as seguintes extremas; para o poente extre-

      mando nos Patís, com José Joaquim d’Araú-

      jo; para o sul extremando com Antonio

     d’Araujo; para o norte com Bernardo José

15 Gomes; e para o nascente no rio do Arraial.

     A rôgo de Manoel Joaquim de Sant’Anna    

     Domingos Antonio de Carvalho. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo 27 de Abril de 1858. Apresentado no dia

20 27 de Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.42v]

       Registro das terras do sitio denominado = Olho d’Agôa =

     sitas n’esta Freguezia de Nôssa Senhôra da Graça do Mor-

     ro do Chapéo.

05 Bernardo José Gomes vem dar á registro um sitio de-

     nominado = Olho d’Agôa = de que é possuidor por des-

     coberta, extremando da parte do sul com Eduardo

     Pareira do Nascimento. E da parte do norte com Joa-

     quim Ferreira e da parte do poente com Antonio

10 José Limeira, e da parte do nascente no disago

     do rio do Tinga. Por não saber ler nem escrever pe-

     di ao Senhor Francisco Fortunato da Silva Pimen-

     tel que este por mim assignasse. A rôgo de Ber-

     nardo José Gomes, Francisco Fortunato da Silva

15 Pimentel. Freguezia de Nôssa Senhôra da Graça

     do Morro do Chapéo 28 de Abril de 1858. Apre-

     sentado no dia 28 de Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos [f.43]

Padre Vasconcellos

        Registro das terras do sitio denominado = Dis-

      coberto  = sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

05 da Graça do Môrro do Chapéo.

     José Pedro de Souza traz á registro as terras do

     sitio denominado = Discoberto = que possue

     por compra, sito n’esta Freguezia de Nossa Se

     nhôra da Graça, e tem as extremas seguintes

10 Para o nascente na estrada dos Canudos; pa-

     ra o poente onde der meia legoa, para o nor-

     te meia legoa; e para o sul uma legoa,

     que tem de norte á sul legoa e meia.

     José Pedro de Souza. Freguezia de Nossa

15 Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo 30

     de Abril de 1858. Apresentado no dia 30 de

     Abril de 1858.

           O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.43v]

        Registro das terras do sitio = Serra = sitas n’esta Fre-

     guezia de Nôssa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     José Pedro de Souza traz á registro, metade do si-

05 tio = Serra = que possue por compra com outro

     companheiro, sitas n’esta Freguezia de Nossa Senho-

     ra da Graça, e tem as extremas seguintes = Para

     o nascente com as Vargens; para o poente com os

     Cannudos; para o norte com as Pedras; e para

10 o sul com o São José, tudo onde fizer meio. Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Cha-

     péo 3 de Maio de 1858. Apresentado no dia 3

     de Maio de 1858.

     O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos                     [f.44]

Padre Vasconcellos

        Registro das terras do sitio denominado

      Lagôa grande = sitas n’esta Freguezia de Nos-

05 sa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     José Pedro de Souza, por si, e seos companhei-

     ros Leocadia Maria de Jezus, Francisco de Pau-

     la Fidellis, José Joaquim da Silva Ribeiro,

     Ignacio José de Souza, Manoel Nicolao

10 de Souza, Francisco Antonio de Sá, e Thimo-

     teo Alves d’Araújo; traz a registro as terras

     do sitio = Lagôa grande = que comprarão

     em sociedade, sitas n’esta Freguezia de Nos-

     sa Senhôra da Graça, e tem as demarcaçoens

15 seguintes = Para o nascente onde der meia

     legôa, para o poente outra meia legoa, pa-

     ra o norte onde fizer meio com o sitio Can-

     nudos; e para o sul onde der uma legoa que

     podera ter de nascente á poente uma legoa, e

20 de norte á sul, uma legoa e um quarto.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo 3 de Maio de 1858. José Pedro de

     Souza. Apresentado no dia 3 de Maio de 1858.

               O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos [f.44v]

       Registro das terras do sitio denominado = Cannu-

     dos = sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça

     do Môrro do Chapéo.

 

05 José Pedro de Souza, por si e seos companheiros Leoca-

     dia Maria de Jezus, Francisco de Paula Fidellis, José

     Joaquim da Silva Ribeiro, Ignacio José de Souza,

     Manoel Nicoláo de Souza, Francisco Antonio de

     Sá, e Thimoteo Alves d’Araújo, traz á registro as

10 terras do Sitio = Cannudos = que comprarão em so-

     ciedade, sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça, e tem os limites seguintes = De nascente

     á poente um quarto de legoa, e de norte á sul

     outro quarto de legoa, que confina com o sitio =

15 Lagôa grande. José Pedro de Souza Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo

     3 de Maio de 1858. Apresentado no dia 3 de

     Maio de 1858.

               O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos              [f.45]

Padre Vasconcellos

        Registro da metade das terras do sitio deno-

      minado = Segrêdo = sitas n’esta Freguezia de Nossa

05 Senhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     Ignacio José de Souza traz á registro a metade do si-

     tio denominado = Segrêdo = que possue por compra

     sita n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça,

     cuja metade do sitio não tem extremas por ser em

10 commum com a vendedoura Rozaura Maria de

     Jezus, em poder de quem se achão as extremas

     de todo sitio, e á ellas se refere. A rogo de Ignacio

     José de Souza, Domingos Antonio de Carvalho.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

15 Chapéo 3 de Maio de 1858. Apresentado no

     dia 3 de Maio de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.45v]

        Registro dos terresnos do sitio denominado = Anto-

      nio José,= sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça do Môrro do Chapéo.

05 José Francisco Coelho, traz á registro as terras do

     sitio = Antonio José = que possue por compra, sito

     nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus da

     Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta Fregue-

     zia de Nossa Senhôra da Graça, e tem as extremas

10 seguintes = Para o nascente em cima da Serra da

     Talaia; para o poente fazendo meio com o Bom

     Successo; para o norte com José Joaquim de Santa

     Anna, onde tem um marco; e para o sul com Ro-

     zaria Maria da Conceição, onde tem um Páo d’Oleo.

15 A rôgo de José Francisco Coelho, Domingos Antonio

     de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça do Môrro do Chapéo 3 de Maio de 1858 Apresen

     tado no dia 3 de Maio de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos               [f.46]

Padre Vasconcellos

        Registro da metade das terras do sitio denomi

      nado = Serra= sitas n’esta Freguezia de Nossa Se-

05 nhôra da Graça do Môrro do Chapéo.

     Ignacio José de Souza traz á registro metade do

     sitio denominado = Serra= que possue por dis-

     coberta, com outro, sitio n’esta Freguezia de Nos-

     sa Senhôra da Graça do Morro do Chapéo, e tem

10 todo o sitio as confrontaçoens seguintes = Para

     o nascente extremando com as Vargens; para

     o poente com os Cannudos, para o norte com

     as Pedras; e para o sul com o São José, tudo onde

     fizer meio. A rôgo de Ignacio José de Souza

15 Domingos Antonio de Carvalho. Fregue-

     zia de Nossa Senhôra da Graça do Morro do Cha-

     péo 4 de Maio de 1858. Apresentado no dia

     4 de Maio de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos                 [f.46v]

        Registro das terras do sitio denominado = Barra = 

      sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo.

05 Gertrudes Francisca de Macêdo, traz á registro as terras

     do sitio = Barra =  que possue por compra, sito nos

     limites da Capella do Senhor Bom Jezus da Bôa

     Esperança, filial á Matriz d’esta Freguezia de

     Nossa Senhôra da Graça, e tem as extremas seguin-

10 tes = Rio do Tinga ácima onde fizer meio com Lu-

     iz Malaquias; rio ábaixo com Rozaria Maria

     da Conceição, onde tem um marco; para o nascen-

     te extremando com terras do Olho d’Agôa, e para

     o poente o mesmo rio. A rôgo de Gertrudes Fran-

15 cisca de Macêdo, Domingos Antonio de Carvalho.

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro do

     Chapéo 4 de Maio de 1858. Apresentado no dia

     4 de Maio de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

f.47]

Padre Vasconcellos

        Registro das terras do sitio denominado = Tan- 

      ques = sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

05 da Graça do Môrro do Chapéo.

     Gertrudes Francisca de Macêdo, traz á registro

     as terras do sitio = Tanques = que possue por

     compra, sito nos limites da Capella do Senhor

     Senhor Bom Jezus da Bôa Esperança, filial á Ma

10 triz d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça e tem as extremas seguintes = Para o

     nascente extremando nos Maninhos, com quem

     de direito fôr, para o poente com os morado-

     res da cabaceira do rio Tinga, e de norte á sul

15 partindo das extremas de Florencio Rodrigues

     da Costa, á fazer meio com Geraldo Ferreira

     de Goes. A rôgo de Gertrudes Francisca de Ma-

     cêdo, Domingos Antonio de Carvalho. Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

20 do Chapéo 4 de Maio de 1858. Apresentado

     no dia 4 de Maio de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos          [f.47v]

        Registro das terras do sitio denominado = Ôlho d’A-

      gôa = sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

      ça do Môrro do Chapéo.

05 Gertrudes Francisca de Macêdo, traz á registro as

     terras do sitio = Ôlho d’Agôa = que possue por com-

     pra, sito nos limites da Capella do Senhor Bom

     Jezus da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta

     Freguezia de Nossa Senhôra da Graça e tem as ex-

10 tremas seguintes = Riaxo ábaixo com Bernar-

     dino dos Reis Santos; riaxo ácima, com Germano

     José de Souza, para o nascente nos maninhos,

     com quem pertencer; e para o poente o mes-

     mo riaxo. A rôgo de Gertrudes Francisca de

15 Macêdo Domingos Antonio de Carvalho.

      Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Morro

      do Chapéo 4 de Maio de 1858. Apresentado

      no dia 4 de Maio de 1858.

              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.48]

Padre Vasconcellos

      Registro das terras do sitio denominado = Re-

      canto, sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

05 da Graça do Môrro do Chapéo.

     Felippe Nery da Costa, traz á resgistro as terras

     do sitio denominado = Recanto = que possue por

     compra, sito nos limites da Capella do Senhor Bom

     Jezus da Bôa Esperança, filial á Matriz d’es-

10 ta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça, e tem    

     as extremas seguintes = Para o nascente no rio do

     Môrro pellado; para o poente onde fizer meio

     quarto de legoa; para o norte no Murundú ex-

     tremando com Lino e Luciano de tal; e para o sul

15 na estiva velha; extremando com Eugenio de Tal.

     A rôgo de Felippe Nery da Costa, Domingos An-

     tonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra

     da Graça do Môrro do Chapéo 4 de Maio de

     1858. Apresentado no dia 4 de Maio de 1858.

20              O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos 

[f.48v]

        Registro das terras do sitio denominado = Ôlho d’Agôa = si-

     tas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Môrro

     do Chapéo.

05 Lucio José d’Oliveira traz á resgistro as terras do sitio =

     Ôlho d’Agôa = que houve por compra, sendo sua si-

     tuação nos limites da Capella do Senhor Senhor Bom Jezus

     da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça; e tem as ex-

10 tremas seguintes = Para o nascente com os mo-

     radores do Tinga; para o poente na estrada

     da Lavra; para o norte com terras de José de

     Tal em hum páo de vinhatico, grande; para

     o sul com Joaquim de Tal, em hum a touceira

15 de Bannaneiras. A rogo de Lucio José d’Olivei-

     ra Domingos Antonio de Carvalho. Freguezia

     de Nossa Senhôra da Graça do Morro do Chapéo.

     4 de Maio de 1858. Apresentado no dia 4 de

     Maio de 1858.          

20                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos      [f.49]

Padre Vasconcellos

        Registro das terras do sitio denominado = Canna-

     brava = sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhôra

05 da Graça do Morro do Chapéo.

     Wencesláo Firmiano dos Santos, traz á registro as

     terras do sitio = Cannabrava = que possue por

     herança, sitas nos limites da Capella do Senhor

     Bom Jezus da Bôa Esperança, filial á Ma-

10 triz d’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça; e tem as extremas seguintes = Para o nas-

     cente extremando com Martinho – Bispo -, pa-

     ra o poente com Pedro Teixeira; para o sul

     na estrada do Orobó; para o norte no riaxo

15 do Mucambo. A rogo de Wencesláo Firmia-

     no dos Santos, Domingos Antonio de Carvalho.

     Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro

     do Chapéo 5 de Maio de 1858. Apresenta

     do no dia 5 de Maio de 1858.          

                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos

[f.49v]

        Registro das terras do sitio denominado = Cannabrava =

     sitas n’esta n’esta [sic] Freguezia de Nossa Senhôra da

     Graça do Môrro do Chapéo.

05 Martinho Bispo da Costa traz á registro as terras

     do sitio = Cannabrava = que possue por compra, si-

     to nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus da

     Boa Esperança, filial á Matriz d’esta Fregue

     zia de Nossa Senhôra da Graça, com as extremas

10 seguintes = Para o nascente extremando com José

     Militano; para o poente, com Wencesláo Fir-

     mino, para o norte no riaxo do Mucambo; e

     para o sul na estrada do Orobó. A rogo de Mar-

     tinho Bispo da Costa, Domingos Antonio de Car-

15 valho. Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do

     Môrro do Chapéo 5 de Maio de 1858. Apresen-

     tado no dia 5 de Maio de 1858.          

                   O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos          [f.50]

Padre Vasconcellos

        Registro das terras do sitio denominado = Sonhém =

     sitas n’esta Freguezia de Nossa Senhora da Gra-

05 ça do Môrro do Chapéo.

     João Rodrigues da Silva, traz á registro as terras do

     sitio = Sonhém = que possue por compra, sitas

     nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus

     da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta Fregue-

10 zia de Nossa Senhora da Graça, e tem as extremas

     seguintes = Riaxo salgado ábaixo no Brejão com

     Caetano José Barboza; riaxo ácima no páo

     ferrado com o Capitão Barboza, para o nascente

     o mesmo riaxo; e para o poente extremando com

15 as Largas do Bonito de José Florencio Bagano.

     A rogo de João Rodrigues da Silva, Domingos An-

     tonio de Carvalho. Freguezia de Nossa Senho-

     ra da Graça do Môrro do Chapéo 5 de Maio de

     1858. Apresentado no dia 5 de Maio de 1858.

20       O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos        [f.50v]

        Registro das terras denominadas = Mocambo = sitas

      n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Graça do Morro

      do Chapéo.

05 João Pedro da Silva traz á registro sua posse de terras

     denominada = Mocambo = que possue por compra,

     sitas nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus

     da Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta Fre-

     guezia de Nossa Senhôra da Graça, e tem as ex-

10 tremas seguintes = Riaxo do Mocambo ábaixo

     até fazer barra no rio Tinga; e riaxo dicto ábaixo

     até a cerca de Germano Jozé de Souza; para o nascen-

     te até o fio do alto; e fio d’este ábaixo procuran-

     do o poente até a barra do Mocambo no Tinga.

15 A rôgo de João Pedro da Silva, Domingos Antonio

     de Carvalho. Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

     ça do Môrro do Chapéo 5 de Maio de 1858.

     Apresentado no dia 5 de Maio de 1858.

       O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos                  [f.51]

Padre Vasconcellos

        Registro de uma sorte de terras sitas na beira do

     rio Tinga n’esta Freguezia de Nossa Senhôra da Gra-

 05 ça do Môrro do Chapéo.

     José Gregorio da Silva, traz á registro uma sorte de

     terras na beira do rio Tinga que possue por dóte, si-

     ta nos limites da Capella do Senhor Bom Jezus da

     Bôa Esperança, filial á Matriz d’esta Freguezia

10 de Nossa Senhôra da Graça e tem as extremas seguin-

     tes = Para o nascente o rio do Tinga; para o poente

     onde fizer meio com o sitio da Varzea do Boi do Senhor

     Cavalcante; para o norte no sangradouro do rio

     Tinga, para o Varzea do Boi; para o sul rio ábaixo

15 ate o sangradouro do Riaxo da Rama. A rogo de Jo-

     zé Gregorio da Silva, Domingos Antonio de Carvalho

     Freguezia de Nossa Senhora da Graça do Môrro do

     Chapéo 5 de Maio de 1858. Apresentado no dia

     5 de Maio de 1858.

20       O Vigario Joaquim Ignacio de Vasconcellos 


  

Comentários enviados

sandra ferreira
sandra ferreira em 16/06/2014 às 23:22:34 disse:

fiquei impressionada pela organização historica de morro do chapéu,minha curiosidade a respeito não conheço a cidade,sou natural de São paulo, meu pai nasceu na cidade de irecê,viveu até o inicio da adolecência em uma vila chamada Morro Alto,certa vez ele mostrou um documento de venda de um terreno do meu bisavô negociado com a data do inicio dos anos quarenta.fiquei curiosa e resolvi pesquisar fiquei surpresa com tanta riqueza de detalhes, não imaginava!!

Rodrigo da silva cerqueira
Rodrigo da silva cerqueira em 01/12/2015 às 18:05:25 disse:

gostaria de saber informações sobre meus anssestrais Antonio nunes da Silva, meu avô, que estava envouvido com os religiosos fanaticos da gruta, boa esperança. a mãe de justina e Antonio filho adotivo de Justina e josé. por favor me deem informações sobre meus antigos de familiares. a minha mãe não me conta muita coisa meu telefone é 016 994072967 ou 016 993024410. moro em Ribeirão preto S/P

Utilize o espaço abaixo para contribuir com informações, sugestões, elogios ou críticas ...

Sua mensagem será moderada antes de aparecer para o público.


(Obrigatório)
Este campo é obrigatório.Formato de e-mail inválido.

Desenvolvido por Éder Lima