Salvador, 14 de Dezembro de 2017

Osvaldo Pereira Dourado

Osvaldo Pereira Dourado

(09.06.1905 – 16.06.1963)

Osvaldo Dourado era filho de Adelmo Pereira, fundador do Pequeno Jornal, e de Maria Amélia Dourado Pereira. Em 1935 casou com Deraldina Dourado, filha do coronel Adolfo Moitinho Dourado e de D. Amália Dourado O ato foi efetuado pelo suplente do Juiz Preparador do Termo, Sr. Antônio Castro Dourado Primo. Os filhos do casal foram Maria Augusta Dourado Pereira, Joaquim Adhelmar Dourado Pereira (falecidos), Paulo Adolfo Dourado Pereira, Maria Augusta Dourado  Pereira (falecida) e Maria de Fátima Dourado Pereira.

Em Morro do Chapéu integrou a diretoria da Sociedade São Vicente e, na condição de redator do Pequeno Jornal e como excelente orador, participou da campanha política que resultou na eleição, em 1923, do professor Faustiniano Lopes Ribeiro como prefeito de Morro do Chapéu. Posteriormente, com a criação do município de Irecê, passou a residir nessa cidade, para onde o jornal foi transferido.

Em 1934 tornou-se advogado provisionado. Exerceu a função de coletor estadual em Irece, Miguel Calmon e Morro do Chapéu, onde foi vereador e presidente da Câmara de Vereadores. Também pertenceu aos quadros da Maçonaria.

Sua filha  Maria de Fatima providenciou a gravação de um CD com as suas poesias, no qual consta a seguinte apresentção:

“Essas poesias do meu pai chegaram às minhas mãos há pouco tempo. Sabia que ele fazia poesias mas não cheguei a conhecê-las com ele em vida já que o nosso convívio foram de apenas dez anos. Aproveito a oportunidade para fazê-las conhecidas...”

Maria de Fátima Dourado Pereira

  • O que fica do amor
  • Noturno
  • Noturno (cont)
  • Cairei?
  • O nosso engano
  • Milagre do Amor
  • Milagre do Amor (cont)
  • Esquece
  • No céu do teu amor
  • No céu do teu amor (cont)
  • No céu do teu amor (cont)
  • Na minha frente
  • Na minha frente (cont)
  • Dentro da Dúvida
  • Dentro da Dúvida (Cont)
  • No deserto da vida
  • O que ficou de uma noite
  • 18 No prelogo  de ilusões
  • 19 Misteriosa
  • Misteriosa (cont)
  • Tem dó
  • 22 Paixão
  • 23  Suplica
  • 24  Suplica (cont)
  • 25  Hipotrica
  • 26 Lagrimas
  • 27  Engano
  • 28 Ao crepúsculo
  • 29  Ao crepúsculo (cont)
  • 30 Recordar
  • 31   Recordar (cont)
  • 32 A voz de pedra
  • 33 A voz de pedra (cont)
  • 34  Triste
  • 35  Ciúme
  • 36 Porque olho estrelas
  • 37 Porque olho estrelas
  • 38  Desejo vão
  • 39 Desejo vão (cont)
  • Na ausencia
  • No silencio da noite
  • Numa noite invernosa
  • Numa noite invernisa
  • Deliciosas mentiras
  • Deliciosas mentiras continuação
  • Desilusão
  • Desilusão (Continuação)
  • Amor que não fala
  • Como eu vivo
  • Eu vivo
  • Flores
  • Distante
  • Distante (continuação)
  • Tribunal do Amor
  • Tribunal do Amor
  • O Primeiro Amor
  • O Primeiro Amor (continuação)
  • Ao Luar
  • Ao Luar (continuação)
  • Olhos Azues
  • Deixa-me
  • Deixa-me (continuação)
  • Doce Recordação
  • Natureza
  • Natureza (continuação)
  • Borboletas
  • Borboletas (continuação)
  • Teu Sorriso
  • Teu sorriso ( continuação)
  • Entre dois corações
  • Entre dois corações (continuação)
  • Vem
  • Vem (continuação)
  • Será?
  • Será? (continuação
  • Rosa Menina
  • Benedicte
  • Foro....Cinzas
  • Ouvindo a Musica
  • Apreensões
  • Apreensões (continuação)
  • Ester
  • O amor tudo vence
  • Em sonho
  • Em sonho (continuação)
  • A Escuta
  • Lágrimas Falsas
  • Ainda e Sempre
  • Ainda e Sempre (Continuação)

Comentários enviados

Maria de Fátima Dourado Pereira
Maria de Fátima Dourado Pereira em 09/02/2014 às 23:08:58 disse:

Antônio José Parabéns pela sua iniciativa e empenho em tornar conhecida a História da cidade de Morro do Chapéu. Obrigada por incluir meu pai, Osvaldo Dourado, entre Personagens dessa Cidade. Continuo à sua disposição no que me for possível. Fátima

Utilize o espaço abaixo para contribuir com informações, sugestões, elogios ou críticas ...

Sua mensagem será moderada antes de aparecer para o público.


(Obrigatório)
Este campo é obrigatório.Formato de e-mail inválido.

Desenvolvido por Éder Lima