Salvador, 17 de Outubro de 2017

Vila do Ventura

 

A  VILA  DO  VENTURA

 Antonio José Dourado Rocha

 
 

Esse artigo apresenta informações sobre uma parcela dos antigos moradores da vila do Ventura, e tem como objetivo prestar uma homenagem a Carlos Navarro Sampaio, pelo seu esforço no sentido de preservar a memória deste local histórico, tarefa que compartilha com nosso amigo Flamarion Modesto.

            Apesar da descoberta do diamante ter ocorrido originalmente em Morro do Chapéu, em 1841, a vila do Ventura, onde a descoberta ocorreu entre 1850 e 1855, se tornou o principal centro produtor desse bem mineral no município.

Segundo relato de Carlos Navarro Sampaio, as descobertas na região dessa vila ocorreram quando três garimpeiros, vindos de Lençóis, pediram a proteção do coronel Porfírio Pereira, na sua fazenda Vargem da Cobra.

Todos eram garimpeiros muito experientes, que logo constataram uma semelhança geológica dessa área com a região de Lençóis, tendo em vista que em ambas ocorre a rocha sedimentar denominada conglomerado, que é a hospedeira do diamante na Chapada Diamantina. O intemperismo, ou seja a desagregação dessa rocha, libera os diamantes e carbonados, que se acumulam nos níveis de cascalhos que ocorrem nas drenagens, onde são objetos de garimpagem. Esses garimpeiros descobriram os diamantes em uma gruna, provavelmente na serra do Criminoso, próximo ao Ferro Doido, em local que ainda permanece desconhecido.

No auge do garimpo, o Ventura chegou a possuir uma escola estadual, delegacia de polícia, teatro, biblioteca, agência dos correios, juiz de paz e uma filarmônica, bem como três farmácias, doze lojas comerciais e uma fábrica de sabão. O teatro recebia artistas de fora, até mesmo da capital, além dos artistas amadores locais.

Dentre os moradores ilustres merecem ser citados Floro Bartolomeu, Afonso Costa, Tiburcio Mendes, Minervino Porto, Elisio Sá, Raul Vitoria, Prisco Viana, Francisco Dias Coelho, Deoclesiano Barreto, Francisco Matos, João Caetano, Horacio de Matos, Antônio Martins Leal, Antônio de Souza Benta, João Navarro Sampaio, João Belitardo e Gabriel Ribeiro dos Santos Bieca

Dentre os principais logradouros do Ventura podem ser citados: as praças Dias Coelho (ainda existente), dos Sampaio e da Vitória; as ruas da Chapada (onde se concentravam as pessoas vindas de Chapada Velha), da Estrela, das Pedras, Elísio Sá, Ferreira de Araújo e do Rebaixo (área de antigo garimpo atribuído a Gabriel Soares).

A edição de 03.07.1921 do Correio do Sertão, apresenta a seguinte descrição do Ventura, elaborada por Cícero Lemos:

     A edificação compõem-se de umas 500 e tantas casas, em sua maioria de ordinária construção, existindo porem alguns prédios de estilo moderno, formando 6 ruas e 2 praças. O comércio é ativo e as feiras se realizam aos sábados, na praça Dias Coelho.

Possui agência dos correios, 2 escolas, estadual e municipal, Associação dos Empregados no Comércio, com uma boa biblioteca, clube de futebol, teatro e capela com invocação de N. S. da Conceição. Em tempos também já teve uma sociedade philarmonica.

O distrito já chegou a dar 10 contos de renda municipal, sendo que hoje está reduzido à metade, assim como está o seu desenvolvimento. Tem uma população de 5.600 habitantes, dos quais 1.600 na sede do distrito.

 

Aos fatos políticos que abortaram em 1914 a possibilidade da emancipação do Ventura, se somaram, em 1932, dois acontecimentos trágicos: a queda do preço do carbonado no mercado internacional, deixando centenas de homens sem trabalho, e uma terrível seca, o que provoca um grande êxodo habitacional, contribuindo para a decadência do local.

Em abril de 1952 foi fechada a agência dos correios, por falta de funcionários, enquanto 1963 foi o último ano de funcionamento do colégio estadual.

No período de 1930-1960, ainda moravam no Ventura cerca de 300 pessoas. Entretanto, com a construção da BA-052, conhecida como Estrada do Feijão, inaugurada em 1974, cujo traçado fica a cerca de 8km do povoado, o mesmo praticamente se transforma em um local deserto. Alem de deserto, esquecido e sem o reconhecimento da importância do seu papel histórico no decorrer do ciclo do diamante no estado da Bahia  

OBS: alguns dos antigos moradores do Ventura estão relacionados a seguir, com base em dados fornecidos por Carlos Navarro Sampaio. O mapa com a localização das residencias pode ser visto entre as fotos.  

             1 – Maria Viúva

             2 – parteira

             3 – Olimpio Ribeiro

             4 – Samuel Honório Bomfim – Louro Barão

             5 - Firmino Ferreira da Silva

             6 - Ambrosina Sena

             7 - Zezinho (Delegado)

             8 - Tibério

             9 -

            10 -

            11 - Velha Joana

            12 - Família Grassi

            13 - Eutropio

            14 - ponte

            15 - Sinhá França

            16 - Dona Anísia

            17 - Antônio dos Reis

            18 - Coronel. Zuza Barreto

            19 - padaria

            20 - Coronel. Landulfo Leão

            21 - João Belitardo

            22 - Coronel. Gabriel dos Santos Bieca

            23 - Escola

            24 - Pedro Marceneiro

            25 - José Navarro

            26 - Bilé

            27 -

            28 -

            29 - Genésio Barreiro de Brito

            30 - Maria dos Reis

            31 - Major Soares

            32 - José Rate

  33 – ponte

  34 -  oficina

            35 - Terto Muniz

            36 - Antônio de Carvalho

            37 - Sobrado da Família Vitória

            38 - Maria Ferreira

            39 - Coronel. Bevenuto Barreto

            40 - João Navarro

            41 - Loja

            42 - Manoel Coim

            43 - Pio Santana

            44 - Dr. Zezinho de Sá

            45 - Abílio Sampaio

            46 - Cândida de Brito Leal

            47 - Loja de Pepino Grassi

            48 - Loja de Antônio Martins Leal

            49 - José Preto

            50 - José Gomes

            51 - Guilhermino

            52 - Francisco Barreiro de Brito

            53 - Romualdo

            54 - dentista

            55 - Antônio Barreiro de Brito

            56 - Antônio Souza Benta

            57 - Olegário França

            58 - Jovinho

            59 - José Marques

            60 - Manoel Sena

            61 -

            62 -

            63 – Salu (parente de Joaquim Modesto)

            64 - Casa Delani Ribeiro

            65 - Antônio dos Reis

            66 - Loja de João Belitardo

            67 - Francisco Ferreira

            68 - Major João Caetano da Silva

            69 – Sobradinho de  Cel.Dias Coelho

            70 - Farmácia  de Ângelo Marci

            71 - Loja de Miguel Ribeiro

            72 - Pedro Vieira

            73 - Toroca

            74 - Antônio Belas

            75 - José de Manezinho Matos

            76 - Minervino Porto

            77 - Felicio Porto

            78 - Hotel de Sebastiana

            79 -

            80 -

            81 -

            82 - Vitório Andrade

            83 - Campo de Futebol

            84 – Teatro

&nb

  • Sócias do Clube Amantes da 25
  • Casamento de Leôncio e Maria
  • Papelaria Nova Aurora
  • Philarmonica 25 de Dezembro do arraial do Ventura (1913).
  • Praça Coronel Dias Coelho na Vila do Ventura
  • Cachoeira do Ventura
  • Batizado de Joel Barreto
  • Joaquim Modesto  com parentes e amigas
  • Primeira Comunhão no Ventura
  • Igreja da Vila do Ventura em 2006, antes da reforma. A construção data aproximadamente de 1900.
  • Igreja do Ventura reformada
  • Primeiro veículo do Ventura
  • Coronel Tota Barreto e familia
  • Coronel Tota Barreto e familia
  • Residencia de João Belitardo
  • D. Lia
  • Mapa das residencias do Ventura
  • Festa Nossa Senhora da Conceição Dez 2014
  • Ventura

Comentários enviados

Anna Cristina Rodopiano de Carvalho Ribeiro
Anna Cristina Rodopiano de Carvalho Ribeiro em 25/04/2014 às 14:20:27 disse:

Olá, sou bisneta de Antonio Joaquim Bellas - acredito que seja o mesmo Antonio Belas, ao qual refere-se no n. 74. Meu bisavô era casado com Felicidade Perpétua Andrade Bellas (apelido Felicia - era filha de Justiniano Botelho de Andrade e Constância Andrade). Meu bisavô possuía casas de farinha e tecido, assim como pequeno garimpo nas regiões de Lavras, Ventura e Morro do Chapéu. Nossos familiares de gerações anteriores já faleceram, e busco registro e fotos para resgatar nossa história familiar. Segundo minha avó Hilda - nascida em 1914 - nos cotava que as fotos de família se perderam em um incêndio, ocasionado por uma vela acesa sobre um baú e que seu padrinho chamava-se Barão de Porciúncula. Quando meu bisavô faleceu, minha bisavó Felicia e filhos - ainda jovens - mudaram-se para a casa da família em Salvador. Toda a informação ou indicação de local/contato de pesquisa será de imenso valor! Muito obrigada, atenciosamente, Anna Cristina.

Luiz Carlos Santos Lopes
Luiz Carlos Santos Lopes em 28/04/2014 às 11:10:11 disse:

Só a fotografia é capaz de recortar o tempo e transformar o passado em presente como num passe de mágica. Ela só não sabe retratar, ainda que seja uma arte, a nostalgia causada pela saudade. Salvador, 28 de abril de 2014. Luiz Carlos Santos Lopes

Lauro Carvalho Porto
Lauro Carvalho Porto em 09/09/2014 às 11:21:13 disse:

Há muito tempo que tento localizar meus parentes paternos. Meu avô se chamava Minervino Porto e consta entre a relação de moradores de Ventura. Meu pai chamava-se Aureo Barreto Porto. Sou filho do terceiro casamento dele e conheço a maioria de meus irmãos, porém nenhum deles teve acesso aos nossos parentes paternos...Sei que meu avô era professor e lecionava na região compreendida entre Mundo Novo e Morro do Chapéu...infelizmente, não consigo nenhum contato com os parentes de meu pai ( irmãos, primos, etc) Gostaria muito de montar a minha árvore genealógica. Se alguém tiver alguma informação que me ajude a localizar parentes de meu pai ou de meu avô, fico desde já muito grato.

NEWTON DIAS FILHO
NEWTON DIAS FILHO em 04/10/2014 às 22:25:32 disse:

Gostaria de saber quem tem uma foto da casa que meu pai hoje com 91 anos, morou na Vila Ventura, segundo ele (de 1923 a 1931) a casa era de esquina e tinha a calçada alta, na praça onde tinha uma ladeirinha ao lado e uma pontezinha que ia para o rio. Como referencia na revolução de 1930 o pessoal guardava as mulas com armamentos nela.

william alves dos santos
william alves dos santos em 16/11/2014 às 18:26:31 disse:

sou morador de morro do chapéu há 26 hanos, gosto muito das histórias de minha cidade, quero te parabénisar por estas fotos lindas que acabei de ver. continui com este trabalho maravilhoso q é muito importante pra nossa cultura. parabéns. william alves. neto de ineto com muito orgulho.

Rosangela Belitardo Rocha lima
Rosangela Belitardo Rocha lima em 18/11/2014 às 23:15:00 disse:

Que bom ter encontra essa coluna que fala da Vila Ventura,sou filha de Angelio Belitardo da Silva sobrinho de João Belitardo por tanto tio avô meu. Gostaria se possível algum parente ou conhecido publicasse alguns fotos do mesmo ficaria muito grata.

José Dantas Barros de Jesus
José Dantas Barros de Jesus em 10/12/2014 às 22:14:29 disse:

Mim sinto muito feliz,em ver estas fotos,e estas listas de moradores antigos.Morei no Ventura,por mais de 10 ans,no inicio dos anos 80;E ja não tnha ninguem desta lista.Conheci apenas o Sr. Carlos Navarro,o informante dos nomes.E conheci tambem dona Lia,a senhorinha da penultima foto,que morava na casa de Sr.Carlos Navarro,e em frente a nossa casa. Saldades!.

Vaudinete Oliveira
Vaudinete Oliveira em 27/03/2015 às 10:48:29 disse:

Bom Dia. Gostaria de saber como devemos fazer para visitar a Vila Ventura com um grupo de pessoas. Agurdo retorno. Agradeço antecipadamente. Vaudinete. Volta Grande, Tapiramutá-Ba.

Rodrigo de Oliveira Figueredo Mattos
Rodrigo de Oliveira Figueredo Mattos em 03/10/2015 às 18:47:43 disse:

PARABÉNS, DOURADO PELO TRABALHO DESEMPENHADO EM NOSSA CHAPADA, ESTAMOS JUNTOS NA RECONSTRUÇÃO,REVITALIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, DE NOSSO DISTRITO VENTURA,VALORIZANDO NOSSO BERÇO ARTÍSTICO,CULTURAL,COLONIAL,ANCESTRAL,NATURAL, E EM DEFESA DAS RIQUEZAS DE NOSSO MORRO DO CHAPÉU. JUNTOS BUSCANDO CONCRETIZAR NOSSO SONHO ! GEOPARQUE ...

suse araujo
suse araujo em 20/11/2016 às 20:23:21 disse:

sou bisneta de Galdino Martins de Araujo, que era dono de umas terras nessa região, queria saber se alguém tem mais informações, pois sabemos pouco sobre ele.

Carolina Silvestrin
Carolina Silvestrin em 25/01/2017 às 15:53:28 disse:

Boa tarde! Meu nome é Carolina, eu faço parte da equipe de uma série de documentário que fala sobre cidades abandonadas. Já estivemos no ano passado gravando em Vila Ventura. Gravamos um depoimento com o senhor Flamarion e também entramos em contato com o Carlos Navarro. Estamos, agora, na fase de montagem e gostamos muito de algumas fotos que estão aqui no site. Gostaria de conversar com o administrador da página para pedir uma autorização para utilização. Colocaremos um agradecimento nos créditos e podemos colocar também o endereço da página, sempre com intuito de divulgar e difundir as informações sobre as histórias do Brasil. Aguardo o retorno! obrigada!

sandra sampaio ribeiro de carvalho
sandra sampaio ribeiro de carvalho em 12/04/2017 às 12:52:23 disse:

Olá sou bisneta de Olímpia Ribeiro, fiquei muito feliz em saber um pouco das minhas raízes. Parabéns

Eunice da Rocha Cesar   nome de casada Eunice Cesar Ehrhardt
Eunice da Rocha Cesar nome de casada Eunice Cesar Ehrhardt em 26/04/2017 às 20:51:02 disse:

Sou neta de Domingos de Araújo Costa e de Sismelina Araújo Costa, meu avô foi escrivão de cartório em Morro do Chapéu, era conhecido muito porque tinha um urubu, que o acompanhava em todos os lugares, será que tem ainda alguém que conheceu está história.

Dulce Oliveira
Dulce Oliveira em 11/06/2017 às 12:38:54 disse:

Gostaria de informações sobre André Avelino Oliveira e Antônia Rosa. Meus pais são falecidos, ouvir muito da história do Ventura, porém tomei conhecimento de algum fatos somente após o falecimento destes. Quero muito conhecer a história de meus antepassados.

Enoc Pereira Moura
Enoc Pereira Moura em 17/06/2017 às 14:44:24 disse:

Primeiramente quero parabenizar pela iniciativa de publicar os dados sobre os antepassados, a história e curiosidades da cidade. Principalmente quando essas informações chegam a pessoas como eu que, a tanto tempo procuro por parentes de minha avó materna que é esta que esta registrada na história da Cidade. SÃO MEUS AVÓS: ADRONICO PEREIRA FELIX E HERMÍNIA PEREIRA DE SOUZA E estou muito ansioso por conhecer meus primos e descendentes de minha avó e tias avós Aguardo quaisquer informações que me levem a eles... Estou em Guarulhos,SP Fones: 11- 49470 6666 e 11- 99838 0320 whatsApp QUERO MUITO CONHECER DESCENDENTES DE HONORIO DE SOUZA PEREIRA que, como eu, é também neto de minha AVÓ E VÔ. Fico no aguardo!!!

Utilize o espaço abaixo para contribuir com informações, sugestões, elogios ou críticas ...

Sua mensagem será moderada antes de aparecer para o público.


(Obrigatório)
Este campo é obrigatório.Formato de e-mail inválido.

Desenvolvido por Éder Lima